Política

Presidente da Câmara adia votação do Marco Civil

Da Redação ·
Presidente da Câmara adia votação do Marco Civil (Agência Câmara)
Presidente da Câmara adia votação do Marco Civil (Agência Câmara)

BRASÍLIA, DF, 12 de março (Folhapress) - Num gesto ao Palácio do Planalto em meio as derrotas impostas pela base aliada, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), confirmou hoje a retirada do Marco Civil da Internet da pauta de votações do plenário.

A medida atende ao governo que atuou para evitar a análise da proposta diante da instabilidade em sua base aliada que tem aprovado a convocação em série de ministros e de uma comissão externa para acompanhar a suspeita de irregularidades na Petrobras.

"Eu recebi um apelo do ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil), e do ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) para mais uma semana para tentar acordar o texto, para que seja um texto aprovado por toda a Câmara dos Deputados. Como eu acho que o tema merece essa compreensão e esse consenso, estou retirando de pauta mas já pautei para terça-feira que vem", afirmou Alves.

Uma das prioridades do governo no Congresso neste ano, a votação do marco já sofreu sucessivos adiamentos devido principalmente à resistência do líder da bancada do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), à frente da atual rebelião de aliados contra Dilma Rousseff.

"Nós chegamos à temperatura máxima, temos que trabalhar esse tensionamento", afirmou o deputado José Guimarães (PT-CE), afirmando que esse não é o momento de votar temas polêmicos.

O marco é tratado como uma espécie de "Constituição" da internet. Entre outros pontos, o projeto fixa princípios gerais de uso da rede, como a proteção de dados pessoais.
 

continua após publicidade