Política

Banco alemão usado por Maluf vai indenizar Prefeitura em US$ 20 mi

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Banco alemão usado por Maluf vai indenizar Prefeitura em US$ 20 mi
Banco alemão usado por Maluf vai indenizar Prefeitura em US$ 20 mi

O Deutsche Bank fechou acordo com a Prefeitura de São Paulo e com o Ministério Público Estadual para pagar uma indenização de US$ 20 milhões por ter movimentado valores depositados pelo ex-prefeito Paulo Maluf. De acordo com o promotor Silvio Marques, a instituição financeira alemã fechou o acordo em troca de arquivamento de ação.

continua após publicidade

"Foi um passo muito importante na recuperação do dinheiro público desviado pelo ex-prefeito Paulo Maluf entre 1993 e 1998. Hoje é um grande marco para a história da cidade porque o dinheiro vai ser destinado a equipamentos sociais do municiípio de São Paulo", disse o promotor.

“O banco se propôs a pagar uma quantia de US$ 20 milhões aos cofres públicos, sendo 18 milhões para a Prefeitura de São Paulo, US$ 1,5 milhão para os cofres públicos do estado de São Paulo, US$ 300 mil para o fundo estadual de interesses difusos e US$ 200 mil para o pagamento de perícia em duas ações propostas pelo Ministério Público contra o ex-prefeito e outras pessoas físicas e jurídicas. O acordo põe fim às investigações quanto ao Deustche Bank”, explica Silvio Marques.

continua após publicidade

“Nós temos provas claras que o ex-prefeito movimentou dinheiro de órgãos públicos municipais e o dinheiro foi movimentado em vários bancos de vários países dos Estados Unidos, da Suíça, França, Luxemburgo, Inglaterra e da Ilha de Jersey. Na Ilha de Jersey, o dinheiro foi depositado no Deustche bank. E em 97 e 98, houve um investimento na empresa Eucatex pelo Maluf e em razão do trânsito do dinheiro o banco passou a ser investigado”, disse.

As investigações tiveram início em julho de 2001, referentes as obras da Avenida Água Espraiada e no túnel Ayrton Senna desvio $ 340 milhões dos cofres da prefeitura. esse valor de US$ 20 milhões refere-se a somente a 10% do valor que passou pelo banco, que foi de cerca de US$ 200 milhões.