Política

Dilma chama opositores de "cara de pau"

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Dilma chama opositores de "cara de pau"
Dilma chama opositores de "cara de pau"

SÃO PAULO, SP, 10 de fevereiro (Folhapress) - A presidente Dilma Rousseff fez hoje um discurso em que deixou claro sua candidatura à reeleição em 2014 e criticou duramente os seus opositores, a quem chamou de "pessimistas" e "cara de pau". Segundo ela, dizer que o modelo de governo do PT está esgotado "é mais do que uma mentira, mas uma agressão ao bom senso e à autoestima dos brasileiros".

Dilma participou de um evento na capital paulista para comemorar os 34 anos do PT e, durante fala de cerca de 40 minutos, declarou que a oposição "não consegue entender os avanços" que o governo petista fez pelo país nos últimos onze anos.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato tucano à Presidência da República, disse diversas vezes em seus discursos públicos que "o ciclo do PT se encerrou". O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), que também deve concorrer ao Palácio do Planalto, diz reconhecer os avanços do governo do ex-presidente Lula, mas afirma que daqui para frente "é preciso fazer mais".

"Eles têm a cara de pau de dizer que o ciclo do PT acabou", declarou Dilma, sem citar nomes. "Esses pessimistas agora aproveitam alguns desequilíbrios da conjuntura internacional, muito difícil para todos os países, para dizer que o fim do mundo chegou. O fim do mundo chegou sim, mas chegou para eles, e isso faz muito tempo", completou sob aplausos da militância petista.

A presidente destacou ainda realizações de seu governo e disse que tem "energia e disposição" para fazer mais pelo Brasil.

"Ninguém cobra mais de mim mesma do que eu mesma, ninguém questiona mais o meu governo do que eu própria. Não somos conformistas, não somos paralisados, nós sempre seguimos em frente e à frente. Possuo energia e disposição redobradas para fazer mais".

Economia

Em meio a diversas críticas que empresários e investidores têm feito à sua política econômica, a presidente afirmou que o país se tornou um dos menos endividados do mundo e que a oposição "teima em não enxergar que estamos construindo um novo Brasil".

"Esse novo Brasil [é construído] sem abdicar dos nossos compromissos com a solidez dos fundamentos macroeconômicos, do controle da inflação, do equilíbrio das contas públicas e fazendo a dívida líquida do setor público cair de 42,1% em 2009, início da crise internacional, para 34% do PIB em 2013."

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que não compareceu ao evento devido a uma viagem que fez a Nova Iorque, enviou um vídeo em que disse que "ninguém fez mais pelo Brasil do que o Partido dos Trabalhadores".

continua após publicidade