Política

3ª votação do projeto de aumento dos servidores deve acontecer hoje

Da Redação ·
3ª votação do projeto de aumento dos servidores deve ocorrer hoje em Apucarana (Foto: Sérgio Rodrigo)
3ª votação do projeto de aumento dos servidores deve ocorrer hoje em Apucarana (Foto: Sérgio Rodrigo)

A Câmara de Vereadores de Apucarana deve realizar hoje (27), a partir das 17h30, sessão extraordinária para 3ª e última votação projeto do Executivo que estabelece aumento de 6,78 % de aumento para os servidores públicos municipais.   

continua após publicidade

O assunto foi amplamente analisado pelo prefeito Beto Preto (PT), juntamente com as secretarias da Fazenda, de Gestão Pública e com o Departamento de Recursos Humanos (RH).
 

confira também

Mas o percentual de aumento, que deve ser retroativo a janeiro, vem sendo alvo de questionamento por parte do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Apucarana e Região. O aumento estudado não estaria atendendo à reivindicação da entidade.

O secretário municipal de Fazenda, Marcello Machado, informou ontem que a intenção do prefeito Beto Preto é reajustar os vencimentos dos funcionários municipais em 6,78%, de acordo com o aumento do salário mínimo nacional que passou a vigorar em janeiro. A proposta inicial era conceder 5,9% conforme a inflação de 2013 calculada pelo INPC.

De acordo com Marcello Machado, a Prefeitura está estudando qual será o impacto na folha de pagamento, que hoje é de aproximadamente R$ 6 milhões. Com aumento de 6,78%, haverá um acréscimo de mais R$ 406,8 mil. Já o sindicato quer um reajuste de 15%.

“Folha de pagamento é uma coisa muito séria, uma vez aumentado o seu valor não se pode voltar atrás”, ressalta o secretário de Fazenda. Segundo ele, no ano passado a Prefeitura manteve os salários rigorosamente em dia e até antecipou o pagamento em algumas ocasiões, como por ocasião do dia do servidor público, e no mês de dezembro, quando também foi pago o 13º salário. “Nós queremos reajustar os salários, mas também pretendemos manter os pagamentos em dia como vem sendo feito”, frisa. No seu entender, aumento de 15% conforme quer o sindicato é impossível no momento.

A presidente do sindicato, Elisabete Costa Souza, contesta o reajuste proposto e não descarta a possibilidade de organizar um protesto hoje durante a votação do projeto. Segundo ela, o sindicato não abre mão dos 15%. Ontem os sindicalistas realizaram mobilização nesse sentido.

Leia mais na edição de terça-feira (27) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná