Política

Barbosa visita o TJ 5 dias após corte eleger novo presidente

Da Redação ·
Barbosa visita o TJ/SP 5 dias após corte eleger novo presidente (Arquivo)
Barbosa visita o TJ/SP 5 dias após corte eleger novo presidente (Arquivo)

SÃO PAULO, SP, 9 de dezembro (Folhapress) - Cinco dias após o desembargador José Renato Nalini ser eleito para presidir o Tribunal de Justiça de São Paulo pelos próximos dois anos, o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, fez hoje sua primeira visita à corte de Justiça paulista.

Durante 15 minutos, Barbosa falou sobre a importância da implementação do processo judicial eletrônico. O ministro disse esperar que, em menos de dez anos, todos os tribunais do país estejam integrados por meio da digitalização.
 

continua após publicidade
confira também



"É absolutamente indispensável que as cortes se comuniquem em linguagem comum. Não há como o tribunal se isolar", disse. "A melhoria dos serviços judiciários no século 21 passa necessariamente pelo uso inteligente e racional da tecnologia da informação.

Barbosa afirmou que entre os objetivos da visita estão conhecer o TJ-SP e estreitar os laços da corte paulista com o CNJ (Conselho Nacional de Justiça), órgão que também preside. "O Conselho Nacional de Justiça se dispõe a estabelecer essa colaboração próxima com o Tribunal de Justiça de São Paulo", disse Barbosa.

O presidente do TJ-SP, Ivan Sartori, não participou da cerimônia. Ele estava em evento oficial no interior do Estado.

Barbosa foi recebido sob aplausos de desembargadores e servidores do TJ. "Esses aplausos que o senhor recebeu são um reflexo da admiração de um dos brasileiros mais admirados de todo o mundo", disse Nalini.

O ministro destacou a dimensão do Judiciário paulista, ao mencionar que, em 2012, 26% das sentenças terminativas em todo o Brasil vieram da Justiça de São Paulo. Depois da sessão, centenas de servidores do TJ-SP fizeram filas para tirar fotos com o ministro.

Após a cerimônia, Barbosa se negou a responder perguntas da imprensa relativas ao julgamento do mensalão.