Política

Senadores do PT farão "visita de solidariedade"

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Senadores do PT farão "visita de solidariedade"
Senadores do PT farão "visita de solidariedade"

BRASÍLIA, DF, 19 de novembro (Folhapress) - A bancada do PT no Senado vai visitar os petistas José Genoino, José Dirceu e Delúbio Soares no Complexo Peninteciário da Papuda, em Brasília, na quinta-feira. Os senadores consideram que os companheiros de partido precisam do apoio da sigla pela história que representam ao país.

"É uma visita de solidariedade. Nós tivemos uma convivência com essas lideranças e reconhecemos a importância histórica. São pessoas que conviveram no parlamento, como ministro, dirigente sindical ou líder do nosso partido. As pessoas precisam desse apoio é nessas horas", disse o líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI).

A bancada do PT no Senado é composta por 12 senadores. Todos manifestaram disposição de visitar os réus condenados no mensalão. "A nossa bancada não pode esquecer uma das coisas que é a essência do nosso partido que é a solidariedade, o apoio pessoal, humano e o apoio à família, enfim, na hora que precisa", completou Dias.

Em reunião da bancada realizada hoje, os senadores petistas também decidiram referendar nota do líder em que ele acusa o STF de agir com "ilegalidade e arbitrariedade" ao determinar a prisão dos três petistas em regime fechado, mesmo condenados ao semiaberto.

A bancada do PT também considera que a prisão dos condenados "em situação precária de saúde viola o princípio da dignidade da pessoa humana, assegurado pela Constituição e pelos tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário".

A nota também diz que o STF não pode agir com "dois pesos e duas medidas", por isso precisa acelerar o julgamento do chamado "mensalão tucano".

Processo

A bancada decidiu esperar a condução das prisões pelo STF nos próximos dias antes de pedir ao Senado a abertura de processo contra o presidente da Corte, Joaquim Barbosa.

O líder havia anunciado ontem que o partido se articulava para pedir ação contra o ministro pela decretação das prisões em regime fechado, mas os petistas acharam melhor não criar uma crise institucional neste momento.

"O que há é a cobrança para que seja respeitada a Constituição e a sintonia dessas ações com outros processos que envolvam pessoas de outros partidos, que não tenham tratamento diferenciado", afirmou Dias.

O senador Jorge Viana (PT-AC) subiu na tribuna do Senado para criticar Barbosa por ter determinado as prisões no regime fechado. Viana citou o ministro Marco Aurélio Mello, do STF, que teria criticado o envio dos réus para a Papuda.

Líder do PSDB, o senador Aloysio Nunes Ferreira (SP) --que é ex-ministro da Justiça-- rebateu Viana ao afirmar que o transferência dos três petistas a Brasília não fere as prerrogativas do STF.

"Os presos são trazidos a Brasília, aqui se cumprem preliminares administrativas, como exames médicos, informações sobre a pessoa, para em seguida serem encaminhadas ao regime penal sob responsabilidade do juiz da vara de execuções aqui de Brasília. Ele é que vai dizer se o condenado tem direito a trabalhar fora, estudar fora, se deve cumprir pena aqui ou no seu Estado de origem, junto à sua família", afirmou.

Na reunião, a bancada do PT ainda criticou o que chamou de "espetáculo" das prisões dos réus do mensalão com sua transferência a Brasília. A sigla considera que os réus têm que cumprir pena em seus respectivos domicílios, próximos das famílias.

Os senadores petistas também elogiaram o parecer do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que sugeriu a composição de junta médica pelo STF para a análise do estado de saúde de Genoino. "Foi um passo importante do procurador", disse o líder.
 

continua após publicidade