Política

Aécio ataca Dilma e diz que presidente se afastou de MG

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Aécio ataca Dilma e diz que presidente se afastou de MG
Aécio ataca Dilma e diz que presidente se afastou de MG

BRASÍLIA, DF, 14 de outubro (Folhapress) - Provável adversário da presidente Dilma Rousseff nas eleições de 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse ontem (14) que a petista se afastou de Minas Gerais nos últimos anos e não resolveu os principais problemas do Estado.

Ex-governador de Minas, Aécio disse que a presidente é "bem vinda" em terras mineiras, mas em sua visita de hoje a Itajubá (MG) não levou "respostas para importantes demandas do Estado".

"A presidente Dilma é sempre muito bem vinda a Minas, como é natural da hospitalidade mineira, mesmo não tendo, mais uma vez, trazido respostas para importantes demandas do nosso Estado que estão sob responsabilidade do governo federal", afirmou.
 

continua após publicidade
confira também



Em nota, o tucano disse que a presidente, e não a candidata, poderia estar "apresentando respostas" às demandas de Minas "se não tivesse se afastado por tantos anos" do Estado.

"Ainda assim, cada visita é uma oportunidade para que ela conheça melhor os desafios e as conquistas dos mineiros. Faltou, por exemplo, um reconhecimento maior da presidente à parceria do governo de Minas na implantação deste importante investimento hoje em Itajubá, um financiamento conjunto do BDMG e do BNDES", afirmou.

Apesar da crítica, Dilma mencionou em seu discurso durante inauguração de uma fábrica de transformadores de corrente elétrica que o projeto foi feito em parceria com os bancos.

Na visita a Itajubá, a presidente disse que não é hora de "subir no salto alto" em relação às eleições de 2014, mas afirmou que seus adversários é que devem se preocupar em estudar para apresentar propostas para o país.

"Acredito que, para as pessoas que querem concorrer ao cargo, elas têm de se preparar, estudar muito, ver quais são os problemas do Brasil e apresentar propostas. Eu passo o dia inteiro fazendo o quê? Governando."

Ao ser indagada durante entrevista a rádios locais sobre o novo cenário eleitoral após a aliança entre a ex-senadora Marina Silva e o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) e o resultado da pesquisa Datafolha que apontou que ela venceria em primeiro turno se os adversários forem o socialista e o senador Aécio Neves (PSDB), Dilma disse que, por ser presidente, a eleição ainda não a preocupa.

"Tudo o que as pessoas que estão pleiteando a Presidência da República querem é ser presidente. Eu sou presidente e, para mim, não é problema a eleição agora. A eleição vai ser uma questão que eu vou tratar oportunamente", respondeu.

Dilma disse que ainda não está definido quem serão os candidatos e que considera "todos os pleitos extremamente legítimos". "Agora, o meu problema é governar, não é ficar preocupada com quem vai ser candidato. Até porque há indefinições", declarou.

"Apesar de respeitar, de achar que ninguém pode subir no salto alto, o meu problema não é salto alto. É o seguinte: não dá para fazer as duas coisas, governar e me preocupar com eleição", concluiu.

Na inauguração, Dilma dividiu o palco com o governador de Minas, Antonio Anastasia (PSDB), o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, que deve disputar o governo estadual pelo PT em 2014, e o ministro da Agricultura, Antonio Andrade (PMDB).