Política

"PSDB nunca vai fazer prévia", diz dirigente do PT

Da Redação ·
Crédito da foto - www.pt.org.br
fonte:
Crédito da foto - www.pt.org.br

SÃO PAULO, SP, 26 de agosto (Folhapress) - O secretário nacional de comunicação do PT, Paulo Frateschi, disse hoje que o PSDB não irá realizar prévias para a escolha de seu candidato à Presidência da República, como defende o ex-governador tucano José Serra.

"Eles nunca vão fazer prévia. Duas garrafas de [vinho da região francesa] Borgonha num saguão de hotel e eles resolvem quem será o candidato", disse o dirigente, durante entrevista coletiva sobre o PED (Processo de Eleição Direta), pleito que definirá o próximo presidente do PT e está marcado para 10 de novembro.

Frateschi foi perguntado sobre qual o número de petistas aptos a votar no PED. A comparação com o PSDB foi instada porque apoiadores de Serra e do senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente do partido e favorito para disputar o Planalto em 2014, discutem se deve haver prévia para a escolha do candidato e qual deve ser o colégio eleitoral se a consulta realmente for realizada.

Serra defende que seja ouvida toda a base de filiados do PSDB, e não apenas delegados indicados pelos diretórios.

Brincando que não deixaria de dar uma "caneladinha política" no partido adversário, Frateschi respondeu que "a gente não faz regra de acordo com a tendência do eleitorado". "O problema deles é que o Serra quer tal tipo de eleitorado porque acha que leva vantagem", declarou.

Para votar na eleição interna do PT, o filiado precisa estar no partido há mais de um ano, estar em dia com o pagamento das contribuições e ter participado de ao menos uma atividade política da legenda. Frateschi afirmou que basta preencher esses requisitos para votar e que a sigla não se importa com a chapa à qual o militante está ligado.

O PT realiza hoje o primeiro debate entre os seis candidatos à presidência do partido. Concorrem ao cargo Rui Falcão (que tenta o segundo mandato), Paulo Teixeira, Markus Sokol, Renato Simões, Valter Pomar e Serge Goulart.
 

continua após publicidade