Política

MP e polícia vão investigar vereadores paulistanos

Da Redação ·

A gastança com a verba de gabinete dos vereadores de São Paulo está na mira da Polícia Civil e do Ministério Público Estadual (MPE). O Departamento de Polícia de Proteção da Cidadania (DPPC) abriu ontem inquérito para apurar a suposta formação de quadrilha para o desvio do dinheiro público. A Promotoria do Patrimônio Público e Social da capital paulista também vai investigar o caso a partir de hoje.

continua após publicidade

A suspeita é de que o uso de empresas de papel serviu para fraudar prestações de contas que justificam o reembolso pelos vereadores de R$, 7,5 milhões por ano - cada um tem direito a R$ 14,8 mil por mês. "O inquérito ficará a cargo da Divisão de Crimes a Administração", afirmou o delegado Dejar Gomes Neto, diretor do DPPC.

continua após publicidade

A decisão de abrir a investigação foi tomada depois que o jornal O Estado de S. Paulo revelou irregularidades nas empresas que deram aos vereadores notas fiscais que justificaram a utilização da verba de gabinete. A abertura do inquérito é o primeiro passo tomado pela polícia para acabar com a suposta farra nos gastos dos vereadores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.