Política

Arquidiocese monta esquema para levar estátua de Frei Galvão até o papa

Da Redação ·







Por Natália Cancian

SÃO PAULO, SP, 16 de julho (Folhapress) - Fora do circuito da visita do papa, a cidade de Guaratinguetá (SP), berço de Frei Galvão, arrumou um jeito de aproveitar a vinda do novo pontífice ao Brasil.

Sem poder receber o papa por mais tempo, já que a agenda oficial se concentrará no Rio, a arquidiocese regional montou um plano para retirar uma estátua gigante de Frei Galvão, o primeiro santo brasileiro, até então localizada no trevo da cidade, e levá-la até o papa Francisco.

O ponto de encontro será o Seminário Bom Jesus, em Aparecida, onde o pontífice estará apenas por algumas horas na quarta-feira e irá almoçar durante um intervalo da programação da Jornada Mundial da Juventude.

Lá, a imagem receberá uma bênção antes de voltar para um santuário na cidade natal.

Apesar da pequena distância, o percurso, porém, não será tão simples: a estátua, feita de poliuretano e revestida em fibra de vidro com resina parafinada, tem oito metros de altura, dois metros e meio de diâmetro e pesa 1.600 kg.

O roteiro começou na manhã de hoje. Com apoio de um guincho e amarrada por cordas, a estátua foi retirada do trevo e colocada em um caminhão. A operação durou cerca de quatro horas.

"Precisava de um transporte mais qualificado por conta da imagem. Pegou-se um caminhão grande, uma carreta. Ela sobrou um pouco, mas deu para carregar bem", conta o bispo-auxiliar da arquidiocese de Aparecida, dom Darci José Nicioli.

Segundo ele, a estátua partiu inicialmente para Pindamonhangaba, onde será restaurada pelo artista Irineu Migliorini --o mesmo que a construiu, há 13 anos.

A expectativa é que a imagem siga para Aparecida até a próxima segunda-feira, onde ficará por três meses antes de ser levada ao seu novo posto, o santuário de Guaratinguetá, centro de peregrinação de devotos de Frei Galvão.

Segundo a Prefeitura de Guaratinguetá, a ideia de levar a imagem até o papa foi de membros da arquidiocese de Aparecida, que abrange cinco dioceses da região --incluindo Guaratinguetá.

"Achamos oportuno trazer aqui para o seminário onde o Santo Padre virá para almoçar e descansar, para que ele conheça um pouco da história de Frei Galvão", conta d. Darci Nicioli.

Segundo Nicioli, a arquidiocese considerou o "movimento expressivo" de devotos que vão ao santuário do frade para pedir a transferência da estátua para o local.

Nascido em 1739, Frei Galvão ficou conhecido após distribuir a doentes "pílulas milagrosas" --pequenos papéis onde escrevia uma frase, em latim, em devoção à Virgem Maria.

"Hoje, há o desejo de construir um novo santuário, maior. Quem sabe essa imagem de Frei Galvão não vai ser o princípio dessa nova obra?", sugere, referindo-se ao espaço construído há três anos em homenagem ao padre, canonizado em 2007 por Bento 16.

O bispo diz que visitar Aparecida durante a jornada foi um "desejo pessoal do Santo Padre". "Se vou na casa de uma família, como não visito a casa da mãe?", diz.

 

continua após publicidade