Política

Procuradoria vai apurar convocação para evento com Cabral

Da Redação ·







Por Italo Nogueira

RIO DE JANEIRO, RJ, 16 de julho (Folhapress) - A Procuradoria Regional Eleitoral vai analisar a convocação feita pela Prefeitura de Miguel Pereira (RJ) a beneficiários do programa estadual Renda Melhor para comparecer a evento com a presença do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e seu vice, Luiz Fernando Pezão (PMDB), pré-candidato a sucessão no Estado. O não comparecimento ao evento poderia resultar na perda do direito ao benefício.

A análise da procuradoria vai apurar eventual abuso de poder político. Pezão e Cabral vão circular pelo interior do Estado do Rio para anunciar a ampliação do programa Renda Melhor, complemento feito pelo Estado ao Bolsa Família, do governo federal.

"A análise mira o candidato. A irregularidade está no abuso de poder político para favorecer o candidato", disse o procurador eleitoral, Maurício Rocha Ribeiro.

O governo do Estado afirma que Cabral e Pezão não sabiam da convocação feita pelo município. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social atribuiu o caso a um "equívoco" de uma funcionária.

A Folha de S.Paulo revelou hojeque a Prefeitura de Miguel Pereira emitiu uma "convocação" --como o documento é intitulado-- para potenciais beneficiários do programa a comparecer ao evento. A ausência poderia resultar, segundo o texto, na perda do direito ao recuso do programa estadual.

"O não comparecimento poderá resultar na perda do benefício. Teremos a presença do governador e vice-governador para assinatura do convênio. Levem seus familiares", diz a convocação. Em Miguel Pereira, 808 famílias podem receber o benefício do programa estadual.

O Renda Melhor, do governo do Rio, repassa de R$ 30 a R$ 300 a famílias que não atingem a renda per capita de R$ 100 mesmo sendo atendidas pelo Bolsa Família. O Estado ampliou nesta semana o programa para todos os municípios e deve atender a 1,2 milhão, consumindo R$ 250 milhões por ano.

A expansão do programa é uma das apostas do estafe do governador para frear a queda na popularidade do peemedebista. O apoio a seu governo é visto como essencial para tornar viável a candidatura de Pezão.
 

continua após publicidade