Política

Campos diz "não ter procedência" hipótese de ser vice de Dilma

Da Redação ·





Por Daniel Carvalho

SÃO PAULO, SP, 16 de julho (Folhapress) - O governador Eduardo Campos (PSB-PE) descartou hoje a possibilidade de ser candidato a vice na chapa encabeçada pela presidente Dilma Rousseff em 2014.

Apesar de, segundo aliados, sua candidatura ter entrado em "stand by" e ele estar mantendo conversas frequentes com o ex-presidente Lula, Campos disse "não ter procedência" as especulações de que se juntaria com Dilma ou mesmo trocaria o PSB pelo PT, caso o projeto de reeleição da petista não decole.

"De forma alguma. Isso não tem a menor procedência. Nem uma coisa nem outra", afirmou o governador antes de entrar na Basílica de Nossa Senhora do Carmo, onde participou de missa em homenagem à padroeira do Recife.

Campos, a primeira-dama, Renata, e o prefeito Geraldo Julio (PSB) assistiram à cerimônia no altar.

Campos ironizou os comentários de que sua candidatura tenha diminuído de ritmo e diz que mantém agenda nacional por "imposição" de suas funções como governador e presidente de partido.

"Tem uma hora que dizem que o ritmo está demais, tem hora que o ritmo está de menos. Tenho fé em Deus que um dia eu vou acertar o ritmo", disse o pessebista.

Inquietação

Desde que Eduardo Campos reduziu suas incursões pelo país, teve início uma onda de inquietação no PSB.

Para tranquilizar os correligionários, o governador disse que tem procurado o diálogo e está mantendo conversas com membros de seu partido.

Preocupação

Campos se disse "muito preocupado" com a situação econômica de Pernambuco. E mudou o discurso que descolava os desempenhos do Estado e do país.

"É claro que Pernambuco é afetado. Pernambuco está dentro do Brasil. Na hora que o Brasil perde ritmo, a gente sente", afirmou.
 

continua após publicidade