Política

Lideres da oposição apontam desgaste do PT

Da Redação ·





BRASÍLIA, DF, 30 de junho (Folhapress) - O presidente do DEM, José Agripino (RN), se mostrou cauteloso em relação ao resultado positivo para o PT em cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na disputa de 2014 -o petista é capaz de vencer no primeiro turno, segundo pesquisa Datafolha.

"Em qualquer circunstância, o desgaste da presidente Dilma é com o governo do PT e inevitavelmente chegará ao Lula", avalia.

O senador afirmou ser um "perigo" o crescimento de eleitores indecisos, mas afirmou que o eleitor brasileiro está "vacinado" diante de candidaturas de aventureiros.

"Em experiências anteriores, ele já viu no que deu. Na hora do voto, vai fazer a reflexão: não vale a pena aventurar", disse. Para Agripino, o crescimento do percentual de indecisos, de 12% no início do mês para 24% é sinal de "descrédito da classe política" de uma forma geral.

Agripino minimizou a pequena variação no desempenho do colega Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato a presidente. "O fato de se manter e até crescer é sinal de resistência. Ele está no jogo há bastante tempo, exposto, e é a própria classe política", disse, se referindo à família do senador, neto de Tancredo Neves.

Para o presidente do MD (Mobilização Democrática, fusão do PPS com o PMN), Roberto Freire, ainda é cedo para projetar cenários para o próximo ano. "O que 2014 pode nos dizer é que não tem nada resolvido. Ainda estamos no calor das manifestações, não sabemos o que vai acontecer."

Freire também minimizou o desempenho do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), cujas intenções dobraram durante os protestos. Para ele, o desempenho de Joaquim Barbosa "é uma tendência por alternativas", que vem ganhando força diante das manifestações das últimas semanas.

Por isso, avalia, a oposição sai fortalecida dos protestos. "As manifestações estão favorecendo as oposições brasileiras, partidárias ou não."
 

continua após publicidade