Política

"Eu me curvei à maioria, mas vou consultar o partido", diz Lupi sobre bloco com PT

Da Redação ·

Por Diógenes Campanha SÃO PAULO, SP, 28 de junho (Folhapress) - Poucas horas depois da reunião em que PT, PSB, PC do B e PDT definiram que farão um bloco para defender o plebiscito sobre a reforma política, o presidente do PDT, Carlos Lupi, expôs uma divergência interna no grupo. Os dirigentes dos quatro partidos se reuniram por quase duas horas hoje. Após o encontro, por volta do meio-dia, o presidente do PC do B, Renato Rabelo, escalado para falar sobre a reunião, disse que as quatro legendas foram unânimes ao definir como propostas prioritárias o financiamento exclusivamente público de campanhas e o voto em lista fechada para as eleições legislativas --como vem sendo defendido pelo PT. Lupi, no entanto, disse no final da tarde que a decisão não foi exatamente unânime. "Eu defendi o voto distrital misto, mas eles preferem o voto em lista pura", afirmou o pedetista. "Eu me curvei à maioria, mas ainda vou levar à consulta do partido." No voto distrital misto, o eleitor vota duas vezes para deputado: em um candidato de seu distrito e em um partido. No voto proporcional com lista fechada, os eleitores votam em uma relação de candidatos elaborada pelos partidos. Rabelo havia afirmado que os quatro partidos eram contrários ao voto distrital. Lupi destacou que o acordo de hoje de manhã foi firmado entre as direções das legendas do bloco, mas que ainda teriam que ser levadas às bancadas. "No PDT, a maioria defende o voto distrital misto e há quem prefira manter o atual modelo", declarou.  

continua após publicidade