Política

Prefeitura fecha casa noturna para servidores com espumante e show do Naldo

Da Redação ·

RIO DE JANEIRO, RJ, 5 de junho (Folhapress) - A Prefeitura do Rio fechou hoje uma casa noturna na zona oeste da cidade, a Barra Music, em um evento com show do cantor Naldo e apresentação do humorista Fabio Porchat. O motivo foi uma homenagem aos servidores que atingiram metas estabelecidas pela Prefeitura e pelas secretarias do governo.

Não foram feitas economias. Além dos shows e do aluguel da casa de 34 mil metros quadrados, havia transporte gratuito, comida e bebida. Foram disponibilizados ônibus e micro-ônibus tanto para a ida quanto para a volta.

A prefeitura informou que foram gastos R$ 400 mil -sendo R$ 100 mil patrocinados pelo Santander. Em nota, o banco informou que, "como responsável pelo pagamento da folha dos servidores municipais, tem a satisfação de poder apoiar o evento de comemoração das metas atingidas pelos servidores".

No cardápio da festa, havia capeletti ao molho de queijo brie e presunto cru, risoto de frutos do mar, risoto de linguiça mineira e capeletti ao molho de tomate. Os convidados podiam se servir em algumas mesas no centro do salão.

Entre as bebidas estavam espumante, caipirinha, cerveja e suco. Não foi estabelecido limite de drinques ou refeições por convidados.

Segundo o secretário-chefe da Casa Civil, Pedro Paulo Teixeira, o programa de motivação foi inspirado em modelos da iniciativa privada. Ele disse também que as atrações foram pagas pelo Santander. "Uma política de Recursos Humanos não é apenas pagar salários. O show é uma vírgula no que isso significa para a cidade", afirmou.

Convidados

Apenas uma parte dos servidores foi chamada para a festa. A boate Barra Music tem capacidade para 6.500 pessoas, sendo que 96 mil servidores concorrem à premiação.

O critério de seleção dos convidados, no entanto, não foi esclarecido. "Os convites foram distribuídos pelas secretarias de acordo com o número de servidores interessados", informou a secretaria da Casa Civil por e-mail.

A reportgem foi ao evento e conversou com servidores. Eles relataram que receberam convites individuais por meio de sorteios.

Bônus

Os funcionários das secretarias que não atingiram as suas metas não recebem a gratificação. A estimativa do governo municipal é que sejam gastos R$ 250 milhões com as premiações, que variam de meio a dois salários.

A prefeitura só irá definir quem são todos os servidores com direito ao extra no próximo mês, quando sai o resultado de um exame que define o bônus dos funcionários da educação. Ou seja, a festa ocorreu antes mesmo de serem definidos todos os vencedores.

O evento ocorre após o prefeito Eduardo Paes ter suspendido no começo do ano repasse de R$ 8 milhões para a Orquestra Sinfônica Brasileira, uma das mais importantes do país. O apoio, que existe há 20 anos, foi retomado após críticas.

"Dinheiro público tem de ser investido em coisas que dão projeção a cidade", justificou na época.

Em 2010, outro show destinado aos servidores gerou polêmica. Foram gastos R$ 1,3 milhão em um apresentação de Luan Santana. O valor representa mais de três vezes o total que a Prefeitura diz que foram gastos no evento deste ano.

Metas

De acordo com a Casa Civil, os órgãos municipais detalham as metas anualmente e assinam o Acordo de Resultados. As metas são discutidas entre as secretarias, a Casa Civil e o prefeito.

O plano foi instituído em 2009 -outras festas foram feitas em 2011 e 2012.

"A meta precisa ser desafiadora, não pode ser mera descrição de rotina própria e nem uma obrigação legal já inerente ao cargo", informa a secretaria em nota.

Com exceção dos servidores da educação, os trabalhadores recebem o extra anual no dia 17 de junho. Os funcionários da educação serão pagos em agosto.
 

continua após publicidade