Política

Lula diz que Roraima deve crescer sem desrespeitar direito dos índios

Da Redação ·

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou nesta segunda-feira (19) da celebração de um ano de demarcação da reserva Raposo Serra do Sol. Lula defendeu em discurso que o estado de Roraima possa experimentar o crescimento econômico sem afetar o direito dos índios. "Que o estado cresça sem tirar o direito de o índio viver tal como ele queira viver."

continua após publicidade

O presidente afirmou que evitou visitar o estado antes por causa dos conflitos entre os que apoiam e aqueles que são contrários à demarcação das terras indígenas. Ele ressaltou que acredita que a terra é por direito dos índios, mas que seu governo agiu dentro da legalidade e lutou pela demarcação na Justiça. "Nós não queríamos brigar com ninguém", disse, afirmando que o governo poderia ter usado a força na solução do conflito, mas preferiu a solução negociada.

Lula afirmou ainda que recebeu pedidos dos índios para que sejam melhoradas as condições de vida na região. "A gente começa a descobrir que os índios estão muito mais sabidos do que a gente pensa", disse.

continua após publicidade

'Mais bravos guerreiros'

Relembrando a luta pela demarcação de Raposa Serra do Sol, o presidente afirmou que os povos indígenas da região talvez sejam "os mais bravos guerreiros que este país já conheceu" e que enfrentaram uma "guerra desigual".

"Tiveram 21 líderes assassinados sem que os assassinos fossem punidos, mas venceram. E venceram sem revidar nenhum gesto de violência. Os inimigos deles tinham armas de fogo, poder econômico e político, mas eles não sabiam que os nossos índios possuem armas ainda mais poderosas: o espírito de luta, a união e a proteção de seus ancestrais."

Lula também mencionou o alcoolismo entre os índios e afirmou que esta foi uma "forma cruel de dominação imposta por aqueles que ocuparam ilegalmente as suas terras".