Política

Aécio diz lamentar por Dilma não se desculpar

Da Redação ·
Aécio diz lamentar por Dilma não se desculpar
fonte: Agências
Aécio diz lamentar por Dilma não se desculpar

SÃO PAULO, SP, 30 de maio (Folhapress) - O senador Aécio Neves (MG), pré-candidato do PSDB à Presidência, divulgou uma nota hoje para criticar a declaração do ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral) de que a presidente Dilma Rousseff não tem de pedir desculpas pelas afirmações desencontradas do governo sobre o pagamento adiantado do Bolsa Família.

"Pedir desculpas ao país não é humilhação, é um gesto de grandeza e responsabilidade. Como seria também repreender publicamente os membros do governo que, de forma leviana, atacaram a oposição e os que mentiram --e mantiveram a mentira-- ao país sobre o episódio", afirmou o tucano.

continua após publicidade
confira também


Na terça-feira, Aécio criticou a Caixa Econômica Federal pelo boato. Segundo o tucano, Dilma devia desculpas aos brasileiros em cadeia de rádio e televisão.


No dia seguinte, Carvalho rebateu o senador ao afirmar que não havia necessidade de a presidente se desculpar.

No dia 18 de maio, um boato sobre o fim do Bolsa Família levou milhares de pessoas às agências da Caixa em 13 Estados para a retirada do benefício. No início, o banco informou que antecipou os pagamentos diante da confusão.

Mesmo sem informações precisas sobre a origem dos boatos, governo e petistas passaram a supor que eles foram fruto de uma ação deliberada e orquestrada.

A ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) e Rui Falcão (presidente do PT) ligaram as ocorrências à oposição, e Dilma afirmou que "é absurdamente desumano o autor desse boato. E é criminoso também", sem apontar culpados.

No dia 25, a Folha de S.Paulo revelou, porém, que o benefício foi liberado um dia antes do boato. Após a divulgação da informação, o presidente da Caixa, Jorge Hereda, admitiu que o banco repassou informação equivocada e pediu desculpas.

"Enquanto eram lançadas suspeitas sobre a oposição, o assunto foi considerado da maior gravidade a ponto de merecer declaração pública da presidente que o considerou criminoso e desumano, além de declarações desastrosas de membros do primeiro escalão do governo e de lideranças do PT", afirma Aécio, na nota divulgada hoje.

"Apesar de saber, muitos dias antes, que a posição divulgada pela Caixa não era verdadeira, o seu presidente só contou a verdade ao país depois que um veículo da imprensa nacional revelou a mentira", completou.

Para ele, ficou clara a responsabilidade do governo no caso. "A presidente subitamente não tem mais nada a dizer sobre o assunto, a ministra da área viaja em férias e a ministra que acusou a oposição se fecha em silêncio", completa o tucano.

Na nota, o senador ainda cobra explicações do governo sobre o caso do vereador Juscelino do Carmo Araújo (PT), da cidade de Coroatá (MA), que recebeu o benefício apesar de ter declarado um patrimônio de R$ 320 mil à Justiça Eleitoral. O caso foi relevado hoje pelo jornal "O Globo".