Política

Doleiro é denunciado por ajudar Marcos Valério

Da Redação ·

Por Paulo Peixoto BELO HORIZONTE, MG, 29 de maio (Folhapress) - Citado nas investigações do mensalão como suposto doleiro, Jader Kalid Antonio foi denunciado à Justiça Federal em Belo Horizonte sob acusação de evasão de divisas, segundo a Procuradoria da República em Minas Gerais. Kalid foi a pessoa que teria enviado dólares para uma conta no exterior do publicitário Duda Mendonça, embora tenha negado tal operação na ocasião da denúncia do mensalão, em 2005. Ele admitiu na época ter sido procurado por Ramon Hollerbach, então sócio de Marcos Valério Fernandes de Souza, para "apontar um caminho" para a remessa de dólares para o exterior. Mas negou ter efetuado a remessa. Hollerbach e Valério foram condenados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) como integrantes do núcleo que operacionalizou o mensalão. Embora beneficiado com a remessa de dinheiro para sua conta particular no exterior, o publicitário Duda Mendonça foi absolvido no julgamento do caso. Segundo a denúncia do Ministério Público, Kalid enviou, em junho de 2003, US$ 131,8 mil para a conta da offshore Dusseldorf Company, no Bank Boston International, na Flórida (EUA). Essa empresa pertencia a Duda Mendonça e sua sócia Zilmar Fernandes. Kalid teria feito a remessa utilizando uma conta dele próprio no Israel Discount Bank of New York. A conta tinha o nome Kanton Business Corp. As autoridades americanas comprovaram a titularidade da conta. Embora tenha negado à época, Kalid admitiu em depoimento prestado na Polícia Federal que era o titular da conta e, segundo o Ministério Público, "também reconheceu que atuava como doleiro, operando transações financeiras internacionais para diversos clientes". A Procuradoria informou que as suspeitas contra Kalid foram investigadas em outro inquérito em Minas por haver "outros delitos". Ele responde a outras duas ações penais na Justiça Federal em Minas sob acusação de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. Kalid não foi localizado pela reportagem na tarde de hoje.  

continua após publicidade