Política

Ministro diz ser difícil associar antecipação de pagamentos a boatos

Da Redação ·





Por Filipe Coutinho

BRASÍLIA, DF, 27 de maio (Folhapress) - O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) disse hoje que a antecipação de pagamentos do Bolsa Família por parte da Caixa Econômica Federal não deve ser a causa para os boatos que levaram multidões aos caixas eletrônicos, causando tumultos.

Na ocasião, todos os benefícios, em um total de R$ 2 bilhões, foram liberados de uma só vez nas contas das 13,8 milhões famílias atendidas. Os pagamentos são habitualmente feitos com base em um calendário, que prevê o pagamento um dia determinado por mês de forma escalonada.

Os boatos, entre eles sobre o fim do programa, levou milhares de pessoas a caixas eletrônicos no fim de semana dos dias 18 e 19 de maio, causando confusões e imensas filas em 13 Estados.

O ministro disse que a Polícia Federal continua a investigação sobre uma ação orquestrada no caso. Segundo ele, o sistema da Caixa é nacional e "chama a atenção" como o boato só ocorreu em algumas regiões do país e com "velocidade que favorece a necessidade de investigarmos que se foi orquestrada".

"Na minha opinião pessoal, parece difícil associar essas duas situações como causa e efeito [antecipação de pagamento e boatos]. Você tem a divulgação do boato numa velocidade impressionante em alguns Estados. Se o sistema é nacional, porque aconteceu apenas em algumas regiões?", questionou.

Por mais de uma vez durante a coletiva de imprensa, Cardozo ressaltou que nenhuma linha de investigação é descartada. O ministro, contudo, não deu mais detalhes sobre as investigações.

Ele disse apenas que a Polícia Federal investiga se o boato foi espalhado por telefone. Segundo o ministro, essa linha de apuração foi aberta após ser informado por um jornalista sobre o depoimento de uma beneficiária do Bolsa Família que afirmou ter recebido um telefonema com o boato.

Pouco antes, também em entrevista coletiva a jornalistas, o presidente da Caixa, Jorge Hereda, admitiu que a instituição se equivocou ao informar que a liberação dos pagamentos a todos os beneficiários havia ocorrido apenas no sábado, como forma de aplacar a corrida pelos benefícios.

Para a oposição, essa liberação antecipada é a provável causa dos tumultos. O PSDB, inclusive, pediu nesta segunda-feira ao Ministério Público que investigue a mudança na liberação de recursos do programa.
 

continua após publicidade