Política

Caixa admite equívoco em informação sobre Bolsa Família e pede desculpas

Da Redação ·

BRASÍLIA, DF, 27 de maio (Folhapress) - O presidente da Caixa Econômica Federal deixou, por quase uma semana, de informar ao público que o banco federal liberou todos os pagamentos do Bolsa Família na véspera dos boatos que levaram milhares de famílias a buscarem agências para sacar os benefícios. Na ocasião, todos os benefícios, em um total de R$ 2 bilhões, foram liberados de uma só vez nas contas das 13,8 milhões famílias atendidas. Segundo afirmou hoje o presidente da instituição, Jorge Hereda, ele soube que as liberações foram anteriores aos boatos na segunda-feira, depois da corrida às agências para sacar o benefício, que aconteceu no fim de semana dos dias 18 e 19. "Tive a informação na segunda-feira e mandei fazer um levantamento exaustivo do que ocorreu. Qualquer presidente de empresa faria o mesmo." Para a oposição, essa liberação é a provável causa do que ocorreu. O PSDB pediu hoje ao Ministério Público que investigue a mudança na liberação de recursos do programa. Na mesma segunda-feira, o vice-presidente de Governo da Caixa, José Urbano, foi a público reafirmar o dado errado e inicial --que a liberação ocorrera no sábado, para aplacar os boatos e evitar um caos maior. Essa informação inicial só foi desmentida pelo banco na última sexta, após a Folha de S.Paulo revelar que uma dona de casa de Fortaleza tinha recebido o dinheiro antecipado na sexta, e não no sábado. Hereda, contudo, disse que o banco soltaria uma nota no sábado de qualquer maneira. "Vocês não vão acreditar nunca que coincidiu, mas coincidiu." O presidente afirmou que o banco deu uma "informação equivocada" e pediu desculpas por isso. "Tivemos uma informação equivocada em relação a data, e isso gerou uma informação imprecisa da Caixa. Essa imprecisão só se justifica pelo momento em que estávamos vivendo. Peço desculpas a todos. Só quem viveu uma crise sabe [como é]." Hereda negou que tenha havido erro no sistema de pagamento do Bolsa Família e afirmou que a antecipação dos pagamentos do programa não foi o causador da onda de boatos. Explicação Hereda deu uma versão para o que levou a Caixa a fazer os pagamentos antecipados na sexta. Segundo ele, em torno de 700 mil famílias que recebem o Bolsa tinham mais de um NIS (número de referência de pagamento do Bolsa e de diversos outros programas sociais). A área técnica da Caixa, sem avisar sua cúpula, então decidiu unificar os NISs dessas famílias. As famílias com mais de um número ficaram com o número mais antigo. Para evitar que algumas famílias que tiveram seu dia de pagamento postergado não conseguissem sacar no dia 17 o dinheiro, decidiram liberar os benefícios para todos. Questionado porque o banco não liberou o dinheiro apenas para essas famílias, a Caixa afirmou não saber naquele momento quem eram essas famílias, sem dar outros detalhes. Os beneficiários do programa não foram avisados. Segundo Hereda, isso ocorreu pois o dinheiro já foi liberado em outras situações e nunca houve nenhum tipo de problema.  

continua após publicidade