Política

Lula diz que não cometerá injustiça contra aposentados

Da Redação ·

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse no começo da noite desta quarta-feira que não tomou ainda uma decisão referente ao reajuste dos aposentados. Segundo o presidente, a decisão será tomada "em sua mesa", mas adiantou que não cometerá injustiça contra os aposentados.

continua após publicidade

"Não posso nem dizer que vou mudar (a proposta de reajuste de 6,14%) nem que vou mantê-la", disse Lula, que participou da abertura da 21ª edição do Congresso Brasileiro do Aço, em São Paulo.

"Eu vou esperar votar e quando isso chegar na minha mesa tranquilamente eu vou tomar a decisão do que fazer", afirmou o presidente.

continua após publicidade

Lula disse que vai levar em conta as condições políticas da votação e se a Previdência suportaria o reajuste. Mais cedo, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, havia dito que sugeriria ao presidente o veto de um aumento superior a 6,14%.

O reajuste de 6,14% custaria R$ 6,7 bilhões à União. Um aumento de 7% teria um impacto adicional de R$ 1,1 bilhão, enquanto um aumento de 7,7% geraria despesa adicional de R$ 1,7 bilhão para o governo.

Líderes do Senado e da Câmara firmaram, em reunião nesta quarta-feira, acordo para votar um aumento de 7,71% para as aposentadorias acima de um salário mínimo, proposta maior que a mantida pelo governo até o momento.

continua após publicidade

A votação do aumento para os aposentados que ganham acima de um salário mínimo só deve ser feita na terça-feira, dia 27. Para a base aliada, este prazo de quase duas semanas será o bastante para que os líderes do governo no Senado e na Câmara convençam a equipe econômica a aceitar o aumento de 7,71%.

Durante o evento, o presidente também criticou o crescimento da mobilização de ONGs e ambientalistas em torno do leilão para a construção da usina de Belo Monte, no Rio Xingu (PA), previsto para 20 de abril.