Política

Ministra diz que Marco Feliciano incita ódio e violência

Da Redação ·

Por Márcio Falcão BRASÍLIA, DF, 8 de abril (Folhapress) - A ministra Maria do Rosário (Secretaria dos Direitos Humanos) disse hoje que as falas do presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP), incitam o ódio e a violência. A ministra também cobrou do comando da Câmara e do Ministério Público Federal uma ação contra o deputado. Feliciano atribui morte de John Lennon a revanche de Deus Há mais de um mês Feliciano é alvo de protestos de movimentos sociais que o acusam de racismo e homofobia e pedem sua saída do posto. Segundo Maria do Rosário, o país tem como grande conquista dos direitos humanos e da democracia a convivência entre os diferentes. "É lamentável que a cada dia nos deparamos com mais um pronunciamento, mais uma intervenção que incita o ódio, o preconceito que já ultrapassa as barreiras da comissão na Câmara e diz respeito a todos nós brasileiros e brasileiras", disse. Para a ministra, o fato de ser uma autoridade não blinda Feliciano. "Eu faria um alerta: de que não tenhamos intolerância, que tenhamos respeito, a Câmara certamente encontrará uma solução ou o próprio Ministério Público porque incitar a violência e o ódio é atitude ilegal, inconstitucional e as autoridades também estão sujeitas as autoridades da lei". Maria do Rosário visitou hoje uma exposição no Congresso que retrata o holocausto que levou ao genocídio de seis milhões de judeus pelos nazistas na Segunda Guerra Mundial (1939-1945). A ministra disse que intolerância e o ódio provocaram o holocausto e que não há espaço no Brasil para essas posições. "Estamos vendo essa exposição sobre holocausto, o resultado do ódio, intolerância, desrespeito humano. No Brasil não devemos ter espaço para isso", disse.  

continua após publicidade