Política

Genoino critica "maniqueismo fundamentalista" em julgamento

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 5 de abril (Folhapress) - O deputado federal José Genoino (PT-SP) voltou a criticar o julgamento do STF (Supremo Tribunal Federal) no qual foi condenado por crimes relacionados ao escândalo do mensalão. Em entrevista ao programa "É Notícia", da RedeTV!, o petista voltou a alegar inocência e negou que houve compra de votos de deputados durante o governo de Luiz Inácio Lula da Silva. "A investigação tem que saber separar o que é crime do que é erro político, o que é opção política. E esse maniqueísmo fundamentalista que se criou, partiu da tese de que houve compra de voto. Até agora não tem prova de que um deputado tenha recebido pra votar. Eu afirmo categoricamente. Ninguém comprou voto e não houve uso de dinheiro público", disse o deputado na entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, que será levada ao ar na madrugada de domingo para segunda. Genoino,que na época do escândalo era presidente do PT, foi condenado a seis anos e 11 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo STF. Em janeiro deste ano, após ter sofrido a condenação, assumiu uma cadeira na Câmara dos Deputados na vaga de Carlinhos Almeida (PT-SP), que foi eleito prefeito de São José dos Campos (SP). Na entrevista no dia de sua posse como deputado disse que não sentia desconforto em exercer o cargo depois da condenação. "Tenho consciência serena dos inocentes e espero que mais cedo ou mais tarde a verdade aparecerá. Estou cumprindo a Constituição", disse. O cumprimento da pena imposta aos condenados no processo do mensalão ainda depende da publicação do acórdão (resultado do julgamento), prevista para a semana que vem.  

continua após publicidade