Política

Ação do governo no Nordeste visa superar desigualdade regional, diz Dilma

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 2 de abril (Folhapress) - A presidente Dilma Rousseff disse hoje, em Fortaleza, que as ações para reduzir os efeitos das dificuldades climáticas no Nordeste expressam o compromisso de seu governo com o crescimento social e com a meta de superar a "perversa desigualdade regional". As informações são da Agência Brasil. Para Dilma a atenção dada à região para minorar os efeitos da seca "é apenas parte dos direitos do povo nordestino. (...) Para mim a convivência com as dificuldades climáticas não pode ser vista como problema, e sim como desafio. Já que não podemos impedir as estiagens, vamos transformar esse convívio em uma vitória", disse após cerimônia em que o governo federal distribuiu motoniveladoras e retroescavadeiras a prefeitos do Ceará. A exemplo do que fizera pela manhã, em reunião do Conselho Deliberativo da Sudene (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste), Dilma disse que a construção da barragem de Lontras é de fundamental importância para a segurança hídrica do Ceará. A presidente destacou a ampliação do programa de disponibilidade de milho da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) para a região a preços subsidiados. Serão mais 340 mil toneladas, em partes iguais, neste mês e em maio. Ela disse também de mais carros-pipa para os municípios em estado de emergência, ampliação de linhas de crédito para renegociação de dívidas dos agricultores e descontos de até 80% para os agricultores familiares que conseguirem pagar seus financiamentos em dia. Dilma destacou a adoção de ações, em parceria com os Estados da região, para ampliar o número de cisternas construídas para armazenamento de águas das chuvas. Foram feitas 284 mil cisternas na região conhecida como Polígono das Secas, que abrange, também, áreas de Minas Gerais e do Espírito Santo. A meta é construir mais 240 mil até o fim deste ano.  

continua após publicidade