Política

É "natural" respirar o clima eleitoral de 2014, diz José Eduardo Cardozo

Da Redação ·

Por Fernanda Odilla BRASÍLIA, DF, 2 de abril (Folhapress) - Coordenador da campanha de Dilma Rousseff em 2010, o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) considera "natural" o Brasil já estar "respirando o clima" eleitoral do próximo ano. "Num calendário político, com eleições de dois em dois anos, é absolutamente natural que, quando você sai de uma eleição, já começa a articular, a pensar e debater outra", disse hoje Cardozo. Nos últimos 15 dias, Dilma promoveu mudanças no primeiro escalão do governo de olho no próprio palanque da campanha de 2014. Ela reabilitou, por exemplo, o PR de Alfredo Nascimento e o PDT de Carlos Lupi, ministros acusados de corrupção e excluídos da Esplanada dos Ministérios durante a faxina promovida pela presidente no primeiro ano de mandato. Pouco mais de um ano antes do início oficial da campanha, Dilma nomeou ministros que contemplam o desejo de grupos que estavam fora do poder na tentativa de manter ao seu lado partidos que cortejam e são cortejados por nomes como Eduardo Campos (PSB), governador de Pernambuco, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), potenciais candidatos presidenciais. A própria Dilma já foi lançada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como candidata à reeleição. "A agenda eleitoral brasileira é dinâmica. É uma realidade brasileira, é um calendário que tem essas características. Portanto, nada de novo. Ou seja, estamos começando a respirar o clima de 2014", disse o ministro. Questionado se essa antecipação do debate eleitoral prejudica o governo, ele se limitou a dizer: "Eu diria a você que a democracia é assim mesmo".  

continua após publicidade