Política

Deputada pede abertura de processo contra Feliciano por quebra de decoro

Da Redação ·





Por Márcio Falcão

BRASÍLIA, DF, 2 de abril (Folhapress) - A deputada Iriny Lopes (PT-ES) pediu hoje a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar contra o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, pastor Marco Feliciano (PSC-SP), por ele ter declarado que o colegiado era dominado por Satanás antes de sua chegada ao posto.

Segundo a deputada, que foi presidente da comissão em 2006, "é inaceitável que um deputado faça esse tipo de declaração, ferindo a honra e a imagem dos nobres colegas que atuam com dedicação e firmeza, para a promoção e valorização dos direitos humanos".

No fim de semana, durante um culto evangélico, em Minas Gerais, ele criticou um protesto contra ele. "Essa manifestação toda se dá porque, pela primeira vez na história desse Brasil, um pastor cheio de espírito santo conquistou o espaço que até ontem era dominado por Satanás".

Para a deputada, "pode-se concluir que o referido parlamentar faltou com respeito com os colegas parlamentares e também com a imagem da instituição, infringido o que preceitua o Código de Ética da Câmara, principalmente com aqueles que já presidiram aquela comissão, que é de extrema importância para a Casa e para sociedade que pode utilizar aquele importante espaço, na busca de direitos e melhorias para todos".

Agora, o pedido da deputada será analisado pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Ele vai decidir se encaminha o caso para a Corregedoria, que fará um relatório para a Mesa Diretora da Casa. Após essa etapa, a mesa vai decidir se o caso segue para o Conselho de Ética, que pode aplicar desde uma advertência até recomendar a cassação que precisa ser discutida pelo plenário.
 

continua após publicidade