Política

Collor chama Gurgel para explicar compra de tablets

Da Redação ·
Collor chama Gurgel para explicar compra de tablets
fonte: Agência Senado
Collor chama Gurgel para explicar compra de tablets

BRASÍLIA, DF, 26 de março (Folhapress) - A Comissão de Meio Ambiente e Fiscalização do Senado vai convidar o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, a explicar aos senadores a compra de tablets para a Procuradoria. A suspeita, levantada pelo senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), é que a compra ocorreu com falhas de licitação. O convite aprovado pela comissão é do próprio Collor, crítico de Gurgel, que acusa o procurador de ter direcionado a licitação da compra para beneficiar a empresa vencedora. Por se tratar de convite, Gurgel não é obrigado a comparecer à comissão. O convite foi aprovado de forma simbólica, sem o voto nominal de cada parlamentar. O líder do PSDB, senador Aloysio Nunes Ferreira (SP), tentou adiar a votação por discordar do convite a Gurgel ---mas por insistência de Collor, o requerimento foi analisado pela comissão. O convite ao procurador faz parte de uma série de ações de Collor contra Gurgel. A pedido do ex-presidente da República, o plenário do Senado já aprovou pedido para o TCU (Tribunal de Contas da União) investigar a compra. O valor da compra dos 1.226 tablets foi de R$ 3 milhões, ocorrida no dia 31 de dezembro de 2012. Collor disse que a Procuradoria fez a compra no "apagar das luzes", com a clara disposição de fraudar a licitação. Em discurso, Collor classificou a compra de "absolutamente irresponsável". "Imagine o que o Ministério Público faria se o fato tivesse ocorrido no âmbito do Executivo, do Legislativo ou de uma prefeitura?", questionou. Impeachment O senador defende publicamente o impeachment do procurador-geral por considerar que ele atuou com "inércia" na Operação Vegas, que investigou em 2009 o grupo do empresário Carlinhos Cachoeira e flagrou conversas do ex-senador Demóstenes Torres. O senador já entrou com representação contra Gurgel no CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). Collor faz discursos quase semanais, no plenário do Senado, para criticar Gurgel. Nos bastidores, Collor tem o apoio de parte dos parlamentares do PT e do PMDB --que não admitem publicamente o movimento contra o procurador. Parte dos petistas quer retaliar Gurgel pelas acusações no processo do mensalão, enquanto os peemedebistas criticam o fato de ele ter oferecido denúncia contra Renan Calheiros (PMDB-AL) ao STF (Supremo Tribunal Federal) às vésperas da eleição que o escolheu como presidente do Senado. Em nota, a Procuradoria negou irregularidades na compra dos tablets. O órgão informa que optou pelo tablet iPad 3, da Apple, pois a Lei de Licitações permite a indicação de uma marca em casos como esses. Segundo a procuradoria, o processo teve aval da área técnica. "Durante todo o processo licitatório não foi registrado qualquer pedido de esclarecimento ou impugnação. O certame teve ampla competitividade, contando com mais de 20 participantes", diz a nota.  

continua após publicidade