Política

Dilma diz que miséria é "página virada" por causa das mulheres

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 19 de fevereiro (Folhapress) - Em evento de mulheres camponesas em Brasília, a presidente Dilma Rousseff reafirmou hoje que a extrema pobreza, alvo da ampliação do Bolsa Família anunciada no Palácio do Planalto mais cedo, representa uma "página virada na história do país".

Segundo a presidente, o sucesso do governo em retirar as 22,1 milhões de pessoas da miséria, conforme promete Dilma, deve-se às mulheres, que têm preferência para receber o dinheiro do Bolsa Família, e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Hoje, Dilma anunciou que os 2,5 milhões miseráveis ainda não atendidos pelo governo passariam a ser beneficiados pelo programa.

"Tentar outra metodologia [não conceder o Bolsa Família preferencialmente às mulheres] seria perda de tempo: nós sabemos que, antes de mais nada --e é interessante que quem soube disso não foi uma mulher, foi um homem, foi o presidente Lula-- (...) é um reconhecimento do Estado brasileiro da importância das mulheres para resolver uma das maiores pragas do país, que foi e é ainda a desigualdade", disse.

O novo benefício social, que começará a ser pago em março por meio do cartão do Bolsa, irá transferir dinheiro extra suficiente para que a pessoa supere a linha oficial de miséria, de R$ 70.

Exemplo: se a pessoa ganha R$ 50, receberá do governo ao menos mais R$ 21. A nova transferência terá um custo anual de R$ 928,4 milhões.

Ainda sobre o papel da mulher em seu governo, a presidente fez um aceno ao eleitorado feminino.

"Eu devo a todas as mulheres um fato simples e singelo: eu estou aqui, não por um milagre, eu não estou aqui porque ocasionalmente eu passei por aqui e aqui cheguei. Estou aqui porque milhões de brasileiros, milhões de brasileiras, que se reuniram em movimentos como este, construíram a possibilidade de eu estar aqui. Eu estou aqui porque vocês estão aí", completou Dilma.
 

continua após publicidade