Política

Sem Dilma, governador da Bahia se queixa de "embriagados"

Da Redação ·

Por Nelson Barros Neto SALVADOR, BA, 10 de fevereiro (Folhapress) - O governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), anunciou no início da tarde de hoje, quarto dia de Carnaval na cidade, que a presidente Dilma Rousseff não deixará a Base Naval de Aratu, em Salvador, onde descansa com a família desde quinta, para visitar os circuitos oficial da festa. Dilma ficará na praia de Inema até Quarta-feira de Cinzas, e havia a possibilidade de que ela apareceria no camarote do governo do Estado, hoje, no Campo Grande. Mesmo sem ela, Wagner disse que não considera a ausência da presidente no Carnaval como "nenhum desprestígio". "Ao contrário. Eu vejo a Bahia prestigiada. Ela já havia vindo para Inema no Ano Novo e voltou para descansar com a filha e o neto. Na realidade, nunca houve essa ideia que se cogitou [de Dilma ir ao camarote, como fez em 2010], até porque ainda está muito recente o episódio de Santa Maria [incêndio na boate Kiss, que matou 238 pesoas]", disse Jaques Wagner. "Ela veio relaxar", completou o governador. Dilma convidou Wagner para tomar um café da manhã na próxima quarta, antes do retorno para Brasília. Perguntado se a política seria o principal assunto, ele respondeu: "Não tem como um governador e uma presidenta se encontrar sem falar disso". Wagner disse que os hotéis estão com 95% de ocupação e que o número de ocorrências policiais diminuiu em relação ao ano passado. Mas reclamou dos foliões que exageram na bebida. "Tem aquelas ocorrências normais... roubo de celular, furto e embriaguez, porque infelizmente muita gente em vez de vir curtir, vem para apagar. Passa do ponto e acaba indo se recuperar no hospital, então perde a festa". Na madrugada de ontem, houve uma morte no circuito Osmar, na região do Relógio de São Pedro. Após se envolver numa briga, Álvaro Alexandre Oliveira dos Santos, 25, foi baleado durante a passagem do bloco Olodum, fora das cordas. Ele chegou a ser levado por uma equipe do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) ao Hospital Geral do Estado, mas morreu.  

continua após publicidade