Política

Dirceu pede defesa de condenados pelo mensalão

Da Redação ·
Dirceu pede defesa de condenados pelo mensalão
fonte: Arquivo
Dirceu pede defesa de condenados pelo mensalão

 O ex-ministro José Dirceu (PT) disse na noite de terça-feira (5) que o mesmo apoio dado ao governo da presidente Dilma Rousseff deve ser dado à defesa dos condenados pelo STF (Supremo Tribunal Federal) no julgamento do mensalão.

"Não há como separar o apoio e a sustentação do governo da presidente Dilma com a luta pela reforma tributária ou para que a Justiça seja feita na Ação Penal 470 [do mensalão]."

Condenado a dez anos e dez meses de prisão pelo Supremo sob a acusação de chefiar o esquema do mensalão, ele participou de encontro do PT no Distrito Federal destinado à "defesa do legado do governo Lula", que reuniu cerca de 500 militantes.

"Neste momento, falar sobre a ação penal é a tarefa mais importante que temos. Por isso, o ex-presidente Lula vai iniciar dia 20 uma série de seminários", afirmou.

Segundo ele, isso é necessário porque "a direita, a oposição, começa a radicalizar a luta política" com vistas às eleições presidenciais de 2014.

"Temos o desafio político de vencer as eleições de 2014. Mas isso diz respeito a nós, ao PT e aos partidos que compõem a coalizão. Esse desafio depende do que nós estamos fazendo aqui. Nossos adversários fazem isso dia e noite. Tentando sabotar. Criando crises que podem vir a prejudicar o crescimento econômico."

Dirceu voltou a dizer que o julgamento do mensalão foi político. "O julgamento às vésperas do segundo turno não tinha o objetivo de fazer justiça e sim uma tentativa de inviabilizar o nosso governo. Não se trata de uma ou outra liderança do PT. Não se trata da denúncia do chamado mensalão. Se trata da tentativa de colocar o PT no banco dos réus."

E acusou "eles" de não permitirem a reforma política para poder manter o caixa dois.

"Esses que gritam todos os dias "pega ladrão" são os que não querem financiamento público de campanha, querem o caixa dois [...]. Criaram um mercado de compra e venda de partido", afirmou sobre a regra que permite que um novo partido tenha tempo de TV.

Dirceu também acusou a mídia de ser imparcial com o PT. Ao citar o número de candidatos ficha suja, afirmou: "Se fosse o contrário teria ficado 15 dias no Jornal Nacional que o PSDB ficou com 15% dos candidatos impedidos por ficha suja."

O PT admite ter feito caixa dois na primeira campanha de Lula. Para o STF, no entanto, o esquema de repasses a parlamentares configurou crimes como corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

Aos militantes, Dirceu citou números comparando os governos FHC com o de Lula, com vantagens para o petista na criação de emprego, renda, escolas técnicas. E afirmou: "Nunca se combateu tanto a corrupção no Brasil."

No encontro, a juventude do PT anunciou que ingressou na OEA (Organização dos Estados Americanos) com denúncia contra o STF, que teria violado os direitos humanos no julgamento do mensalão.

Dirceu foi ao evento mesmo com a morte da mãe de sua namorada ontem. A assessoria chegou a afirmar que ele faria um rápido pronunciamento por causa do ocorrido, mas Dirceu falou por mais de uma hora.

 

continua após publicidade