Política

Ex-presidente se encontra com Fidel

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 30 de janeiro (Folhapress) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou hoje com Fidel Castro durante visita a Cuba, onde está desde segunda. Durante a manhã, ele esteve com Raúl Castro, visitando as obras do Porto de Mariel, destinado a ser uma "zona econômica exclusiva" na ilha, autorizada a receber capital estrangeira. Não foram divulgados detalhes da conversa entre ambos. Lula ainda participou, nesta quarta, segundo sua assessoria de imprensa, da Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo. O evento marca os 160 anos do nascimento de Jose Martí, político e escritor cubano, heróis da independência do país. Na terça, o ex-presidente havia depositado flores em seu memorial, em Havana. Especulava-se que Lula pudesse visitar o presidente venezuelano Hugo Chávez, internado na capital cubana desde o início de dezembro, para a realização de uma cirurgia em decorrência de um câncer na região pélvica --o mandatário não aparece publicamente, nem tem uma imagem divulgada desde então, levantando suspeitas de que seu real estado de saúde estaria sendo ocultado pelo governo da Venezuela. O último boletim com a saúde de Chávez foi divulgado na sexta pelo vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro. Ele afirmou que o presidente se recuperava da cirurgia, sem dar mais detalhes sobre o estado de saúde. O convite a Lula para a participação na conferência havia sido feito em agosto de 2011, segundo sua assessoria. Também hoje, Lula participou do lançamento do livro "Os últimos soldados da guerra fria", do escritor brasileiro Fernando Morais, em Havana. O ex-presidente deve deixar Cuba em direção à República Dominicana, onde se encontrará com o presidente Danilo Medina Sánchez e o ex-presidente Leonel Fernández. No dia 2, ele vai à Washington, onde no dia seguinte, fará o discurso de abertura em um evento do sindicato dos trabalhadores da indústria automobilística e aeroespacial, realizado na capital dos EUA. No mesmo dia, Lula deve retornar ao Brasil.  

continua após publicidade