Política

Decisão sobre mandatos de condenados no mensalão é da Câmara, diz petista

Da Redação ·

Por Gabriela Guerreiro BRASÍLIA, DF, 7 de dezembro (Folhapress) - Ao chegar à reunião do diretório nacional do PT, em Brasília, a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) defendeu que a Câmara tenha autonomia para cassar mandatos dos deputados condenados no mensalão. Nervosa ao ser questionada sobre a conduta ética do partido no caso, Benedita disse que "ao Congresso cabe cassar mandato". "Estamos falando de competência, de quem é eleito por voto direto do povo e a instância que nós politicamente julgamos ser a ideal para fazer determinado julgamento. Nós julgamos mandato. Então, se o povo deu o mandato, quem está no Congresso são pessoas que foram pelo povo eleitas para tomarem a decisão", afirmou. Sobre a presença de José Dirceu, que chegou ao encontro sem falar com a imprensa, Benedita disse que a presença do ex-ministro na reunião do diretório não cria "constrangimento" ao partido e o PT "conhece o companheiro" que é formulador de políticas da sigla. "No Partido dos Trabalhadores também cabe direito de defesa com clareza e comprovação", afirmou a deputada. Dirceu foi condenado no mensalão por corrupção ativa e formação de quadrilha. O ex-ministro está em Brasília desde ontem para a reunião do partido. Chegou a cogitar participar do velório do arquiteto Oscar Niemeyer, no Palácio do Planalto, mas desistiu da ideia. Também condenados pelo STF, José Genoino, João Paulo Cunha e Delubio Soares não participam da reunião do diretório. Tristeza Secretário de Comunicação do PT, o deputado André Vargas (PR) classificou de "muito triste" o formato adotado pelo STF no julgamento do mensalão "sem considerar provas" dos condenados. "Nós entendemos que houve um exagero e a forma como se transmite as sessões do Supremo também é algo profundamente discutível. E realmente é triste para todos nós." Num recado ao DEM e PSDB, Vargas disse que a oposição está "pautada pelo desespero" no caso do mensalão. "A oposição antecipou o processo eleitoral, está absolutamente pautada pelo desespero, na nossa opinião, por ter perdido São Paulo e perceber que o PT e seus aliados continuam fortes", disse. Na opinião de Vargas, a presidente Dilma Rousseff continua "com grande viabilidade política" para a conclusão do seu mandato e a disputa à reeleição. "O presidente Lula também continua muito fortalecido", afirmou. Sobre a cassação dos mandatos dos condenados no mensalão, Vargas disse que a palavra final deve ser da Câmara. "Nós achamos que é a Câmara. Mas isso sou eu que acha, o deputado André Vargas, e não o PT, e é uma questão que o deputado Marco Maia, que é o presidente, deve falar."  

continua após publicidade