Política

Prefeitura-Natal - (Atualizada)

Da Redação ·

Novo prefeito assume e promete pagar salários atrasados




Por Renata Moura

NATAL, RN, 1 de novembro (Folhapress) - O empresário e vereador eleito Paulinho Freire (PP) foi empossado na tarde de hoje como novo prefeito de Natal, após a Justiça do Estado ter afastado Micarla de Sousa (PV) do cargo.

A decisão de afastar Micarla e transferir o cargo ao vice foi tomada em caráter liminar (provisório) pelo desembargador Amaury Moura. Atende a um pedido do Ministério Público.

A Promotoria aponta "fortes indícios" de envolvimento da prefeita afastada em fatos investigados pela operação Assepsia. Deflagrada em junho, a operação apura fraudes na contratação de entidades para administrar unidades de saúde em Natal.

Após solenidade de posse na Câmara Municipal, Freire defendeu Micarla e disse que ela provará sua inocência.

Em entrevista, o novo prefeito prometeu, nos dois meses de gestão, resolver "questões básicas" da cidade, como limpeza e recapeamento de ruas, além do pagamento de salários do funcionalismo. Parte dos servidores municipais ainda não recebeu o pagamento de outubro.

O 13º salário também estaria sob risco de atraso. A prefeitura diz que o problema é resultado de um bloqueio judicial nas contas do município.

Freire antecipou que irá promover mudanças no secretariado, mas não detalhou as alterações. Disse apenas que, por falta de tempo, as mudanças serão pontuais. "Vamos tentar enxugar um pouco a máquina, dar uma organizada na situação, para que possamos fazer uma transição tranquila", disse. O prefeito eleito da cidade é Carlos Eduardo Alves (PDT).

Defesa

Enquanto o dia foi de holofotes para o novo prefeito, a defesa de Micarla trabalhava. Paulo Saraiva, advogado da prefeita afastada, ingressou ontem com recurso no Tribunal de Justiça do Estado, pedindo que o juiz reconsidere a decisão e reconduza Micarla ao posto.

"Caso ele não faça isso, peço que mande [o recurso] para a Câmara julgar. Mas estou muito confiante de que ele vai reformar a decisão. Tenho argumentos jurídicos fortes, com base constitucional. A prefeita não foi citada, não pôde se defender", disse.

Em nota divulgada ontem, Micarla negou irregularidades e disse que provará que não cometeu qualquer ato "que desabone sua conduta e macule sua honra".

Jornalista, apresentadora de TV e dona da TV Ponta Negra, afiliada local do SBT, Micarla foi eleita no primeiro turno de 2008. Antes, havia sido deputada estadual e vice-prefeita na primeira gestão do agora prefeito eleito Carlos Eduardo Alves (PDT).

Ela chegou ao final do mandato com 92% de rejeição, segundo pesquisa recente do Ibope. Ela desistiu de disputar a reeleição em junho, quando disse que deixava a política para se dedicar "a Deus e à família".
 

continua após publicidade