Política

Carlos Eduardo (PDT) é o prefeito eleito da capital do RN

Da Redação ·





Por Valmar Hupsel Filho

SÃO PAULO, SP, 28 de outubro (Folhapress) - Com 95% das urnas apuradas, o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) está matematicamente eleito para um novo mandato hoje, com 57,96% dos votos válidos, contra 42,04% de Hermano Moraes (PMDB).

Alves ocupará a chefia do Executivo na capital potiguar pela terceira vez. Em 2000, era vice-prefeito e assumiu a gestão quando Wilma de Faria (PSB) renunciou ao cargo para se candidatar ao governo do Estado.

Dois anos depois, reelegeu-se e cumpriu mandato até 2008.

O ex-prefeito disputou o governo em 2010 -ficou em terceiro lugar, com 10,3% dos votos. Em 2012, inverteu posições com Wilma de Faria e saiu candidato à prefeitura tendo a ex-governadora como vice.

A campanha foi marcada pelas críticas à atual gestão de Micarla de Souza (PV), que termina o mandato sem tentar reeleição e com alto índice de rejeição --segundo pesquisa Ibope deste mês, nove em cada dez eleitores de Natal (91%) consideram a administração ruim ou péssima.

Advogado, Alves, 53, é sobrinho do ex-governador e ex-ministro Aluísio Alves, e primo do também ex-governador Garibaldi Alves, hoje senador pelo PMDB. Os três já ocuparam a Prefeitura de Natal em diferentes épocas.

Sua candidatura neste ano, entretanto, não foi unanimidade na família. Alves não contou com o apoio do senador Garibaldi nem do deputado federal Henrique Alves, seu primo e líder da bancada do PMDB na Câmara.

Garibaldi e Henrique apoiaram e chegaram a negociar com o PT nacional apoio ao correligionário Hermano Moraes. O diretório municipal do PT, entretanto, declarou "voto crítico" em Alves.

Alves elegeu-se propondo construir 34 novas escolas e a recuperar a rede atual. Na saúde, prometeu aumentar a cobertura do PSF (Programa de Saúde da Família) a 70% da cidade e implantar uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) por distrito sanitário.

O prefeito eleito declarou patrimônio de R$ 2,6 milhões. Na campanha, segundo prestação de contas de setembro, declarou ter arrecadado R$ 547,6 mil e gasto R$ 417,1 mil. O rival Moraes declarou receita de R$ 1,6 milhão e despesa de R$ 1,08 milhão.

No primeiro turno, Carlos Eduardo Alves teve 40,42% dos votos válidos (153.464), contra 23,01% de Hermano Moraes (87.380).
 

continua após publicidade