Política

Candidatos em SP se acusam sobre parcerias na área da saúde

Da Redação ·

SÃO PAULO, SP, 27 de outubro (Folhapress) - Os candidatos a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT) e José Serra (PSDB), trocaram acusações sobre suas propostas para a área da saúde no debate promovido pela TV Globo. Serra falou primeiro sobre o programa de distribuição de medicamentos que fez quando era prefeito. Haddad disse que a ideia era boa, "mas os programas não estão funcionando". O petista ainda acusou o governo estadual de tentar privatizar 25% dos leitos públicos. "O que geraria o caos." Haddad também se defendeu da acusação de Serra de que pretende acabar com as parcerias público-privadas na saúde com as OSs (organizações sociais). Ele chamou de "rumor" essa ideia. "Fui assessor especial do Ministro do Planejamento e lá eu formatei as leis das parcerias público-privadas que hoje têm importância muito grande no país. O Prouni é uma parceria público-privada muito importante", disse o petista. "No programa do PT, do candidato, nas declarações de dirigentes do PT, e até a Justiça Eleitoral confirmou isso, o PT quer acabar com as parcerias, com as organizações sociais em São Paulo", respondeu Serra. Segundo ele, o fim das parcerias seria "uma perda para o sistema de saúde". O candidato do PT disse ainda que o tucano não falou durante a campanha de possíveis parcerias com o governo federal. "Você mesmo diz que precisam voltar os recursos dos contribuintes paulistanos para São Paulo, mas a gestão Kassab e a gestão Serra não fazem o menor esforço para buscar esses recursos porque não têm projeto", afirmou Haddad. "Hoje a prefeitura tem 83 convênios em parcerias com o governo federal. Esta história que não se faz coisa com o governo federal é mentira", disse Serra.  

continua após publicidade