Política

TRE pede envio de tropas federais para o segundo turno

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 23 de outubro (Folhapress) - O TRE-MA (Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão) decidiu encaminhar ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedido para que tropas federais atuem durante a votação do próximo domingo em São Luís. O pedido foi enviado ao TRE-MA pelos candidatos que disputam o segundo turno na capital maranhense, motivados pela divulgação de um vídeo na internet em que policiais e bombeiros militares aparecem em um encontro político dizendo que usarão "táticas militares' para ajudar a eleição de um dos candidatos. As informações são da Agência Brasil.

Disputam o segundo turno o atual prefeito João Castelo (PSDB), que obteve 30,6% dos votos válidos no primeiro turno, e Edivaldo Holanda Júnior (PTC), que conquistou 36,4% dos votos.

Em nota, os membros do TRE-MA informaram que foi enviado ofício ao governo do Estado para que ele se manifeste sobre a solicitação. O governador em exercício, Washington Luiz de Oliveira, concordou com o pedido, segundo a Secretaria Estadual de Comunicação.

A Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, por meio de nota, informou que prendeu seis militares que estariam envolvidos no suposto esquema para atuar até o dia das eleições. Foram presos o coronel Jonas Batista Durans, subchefe do Estado Maior Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão; o sargento Juarez de Morais Aquino Júnior, da Companhia de Policiamento de Guarda (CPGD); o cabo Roberto Campos, do 6º Batalhão da Polícia Militar; o cabo Marcos Antonio Ramos Barros, do 2º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM); o cabo Marco Aurélio Ribeiro, do 1º GBM; e o cabo Jorge Henrique Sousa da Costa, do Subgrupamento de Busca e Salvamento.

Segundo a secretaria, os militares foram identificados nas imagens do vídeo divulgado nesta semana. "O recolhimento administrativo se deu em cumprimento ao exposto pela Legislação Militar e tem por base os pressupostos da ordem e da disciplina, segundo a qual o militar não deve se desviar dos objetivos que visem o bem comum da tropa', diz trecho da nota divulgada pelo órgão.

O pedido de envio de tropas federais ainda terá que ser julgado pelo TSE.
 

continua após publicidade