Política

TV de Ratinho é multada pela segunda vez por favorecer filho

Da Redação ·

Por Estelita Hass Carazzai CURITIBA, PR, 22 de outubro (Folhapress) - A Rede Massa, afiliada do SBT no Paraná e de propriedade do apresentador Carlos Massa, o Ratinho, foi multada pela segunda vez pela Justiça Eleitoral por favorecer, em seus programas jornalísticos, o candidato Ratinho Junior (PSC), que concorre à Prefeitura de Curitiba. A multa, de R$ 42 mil, foi imposta em decorrência de comentários dos apresentadores do "Jornal da Massa", programa noticioso que vai ao ar diariamente, pela manhã. A empresa, que foi multada em setembro em R$ 21 mil pelo mesmo motivo, nega favorecimento e já recorreu da decisão. De acordo com a ação, proposta pelo adversário de Ratinho no segundo turno, o candidato Gustavo Fruet (PDT), os comentários foram feitos entre os dias 8 e 12 de outubro, com críticas ao pedetista, à sua aliança com o PT e à forma como este partido governaria Curitiba. "Quem representa efetivamente a oposição e a novidade é o candidato que ganhou o primeiro turno, o senhor Ratinho Junior. Isso precisa ficar claro", diz um dos comentaristas. "A candidatura do Gustavo Fruet [...] significa a ascensão do petismo na capital; o petismo que tem planos de tomar o Estado", afirma outro, que ainda cita o escândalo do mensalão e diz que o PT "usa a corrupção como método para perpetuação de poder". De acordo com a juíza Renata Estorilho, "percebe-se clara a estratégia da representada de beneficiar o candidato Ratinho Junior e fazer propaganda negativa para Gustavo Fruet". A juíza também destaca que os apresentadores "reduzem" o PT "a um esquema de domínio do poder estatal" e que, em um dos programas, passam oito minutos "hostilizando" Fruet e sua coligação. Para Baganha, a liberdade de expressão da Rede Massa não pode justificar "comentários reiterados e depreciativos em face de uma candidatura, a fim de privilegiar outra". "A representada tem a liberdade de veicular notícias esclarecedoras e elucidativas à população. Todavia, seus comentaristas não podem criar estados mentais e induzir os eleitores a interpretações", afirma a juíza, na decisão. A Rede Massa defende que "apenas abordou temas genéricos e discutidos hoje em todos os meios de comunicação, como o mensalão e seus reflexos nas eleições disputadas pelo PT", e que "nenhuma mentira foi veiculada".  

continua após publicidade