Política

Membros da CPI pedem sequestro de bens de investigados

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 19 de setembro (Folhapress) - Os integrantes da CPI do Cachoeira pediram à Procuradoria da República em Goiás o sequestro de bens e a entrega de passaporte de todos os suspeitos de integrar o grupo do empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo.

Segundo o vice-presidente da comissão, deputado Paulo Teixeira (PT-SP), o objetivo é evitar que integrantes do grupo deixem o país e que vendam os bens adquiridos de forma ilegal. "Elencamos 167 bens e enviamos à Procuradoria", disse o petista.

Entre os supostos bens de posse do grupo estão apartamentos, casas e até uma aeronave. A estimativa é que o valor total dos bens chegue R$ 140 milhões. Desse total, R$ 1,5 milhão seria referente a um terreno em Goiânia que estaria em nome de Cachoeira.

A decisão dos integrantes da CPI ocorreu após reportagem do "Correio Braziliense" revelar que pessoas próximas do empresário estariam vendendo os imóveis pertencentes ao grupo por preços abaixo do que o de mercado.

A comissão volta a se reunir apenas em outubro, quando está previsto o depoimento do deputado Carlos Alberto Leréira (PSDB-GO) e a apresentação do relatório final do deputado Odair Cunha (PT-MG).

Na próxima semana, Cunha pretende ir até a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) para pedir uma padronização do envio dos dados telefônicos solicitados pela comissão. "Até agora recebemos apenas 10% do que pedimos. Não há uma padronização, o que dificulta o cruzamento dos dados", disse Cunha.
 

continua após publicidade