Política

Programa de Haddad na TV diz que Serra tentou desmoralizar paciente

Da Redação ·





SÃO PAULO, SP, 14 de setembro (Folhapress) - O programa de TV do candidato Fernando Haddad (PT) exibido na noite de hoje disse que a Prefeitura de São Paulo violou o sigilo médico de um paciente que havia aparecido na propaganda petista e que o adversário José Serra (PSDB) tentou "desmoralizar a vítima".

A propaganda petista exibiu, no mês passado, o depoimento do caminhoneiro José Machado, que afirmou esperar há dois anos uma cirurgia de catarata.

Segundo reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo", a Secretaria Municipal de Saúde informou que "a hipótese de diagnóstico" de Machado não era catarata. Nesta semana, o jornal divulgou laudo que constata que ele sofre da doença.

O programa petista disse que Serra deu entrevistas "tentando desmoralizar a vítima" e que, "com surpreendente frieza, defendeu a quebra do sigilo". O programa exibiu entrevistas do tucano afirmando que o homem não tinha catarata e que o procedimento da prefeitura foi correto.

O caminhoneiro voltou a dar depoimento. Ele disse que se sente "de alma lavada" e que "o estrago que ele [Serra] causou na minha vida não tem dinheiro nenhum que apague". "Mentira pode fazer parte da cultura deles, mas não da minha", concluiu.

O programa exibiu também propostas de Haddad para a área da saúde.

Cultura

Em seu programa, Serra mostrou sua propostas para a área cultural. Os ataques a Haddad ficaram restritos ao início e ao final do programa, quando foram exibidos comerciais que ligam o petista ao ex-ministro José Dirceu, réu no mensalão, e críticas à proposta do Bilhete Único mensal.

O tucano prometeu, se eleito, criar museus da moda, do carro e da canção brasileira.

Líder nas pesquisas, Celso Russomanno (PRB) voltou a exibir o programa do início da tarde, em que se diz vítima de ataques de adversários devido à liderança.

Gabriel Chalita (PMDB) propôs criar a "Broadway paulistana" para revitalizar a área do Bixiga. Ele prometeu reformar teatros, apoiar donos de restaurantes e dar outros incentivos para que a área se torne um polo gastronômico e cultural.
 

continua após publicidade