Política

Eleições- Curitiba - (Atualizada)

Da Redação ·

Fruet recorre e Justiça proíbe pesquisa Datafolha Por Estelita Hass Carazzai CURITIBA, PR, 11 de setembro (Folhapress) - O candidato do PDT à Prefeitura de Curitiba, Gustavo Fruet, recorreu ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná e conseguiu, na tarde de hoje, suspender a divulgação da pesquisa Datafolha de intenções de voto em Curitiba, que deveria ocorrer amanhã. Fruet fez o primeiro pedido à Justiça Eleitoral na noite de ontem, mas a solicitação foi negada por um juiz de primeira instância. Com o recurso, a coligação do pedetista reverteu a decisão. Os advogados de Fruet argumentam que o registro da pesquisa no TRE não indicou a fonte dos dados para a ponderação e estratificação dos entrevistados em relação ao nível econômico e grau de instrução. "Se o instituto não informa qual é a fonte de seus dados, não tem obrigação nenhuma quanto aos números que vai utilizar", diz o advogado de Fruet, Gustavo Guedes, para quem falta "transparência" à pesquisa. O argumento é o mesmo que, em 2010, acarretou a proibição de nove levantamentos de intenção de voto para o governo do Estado no Paraná. Na decisão desta tarde, o juiz Luciano Carrasco acatou o pedido e ressaltou a "força formadora de opinião" das pesquisas. "É indiscutível que os números das pesquisas podem influenciar indecisos, impressionando o eleitor." Carrasco afirmou que o levantamento do Datafolha se revelava "precário", "pois não há no pedido de registro da pesquisa feito junto a este tribunal a informação da origem dos dados, [...] impossibilitando a verificação de uma eventual irregularidade", disse. Queda Fruet, que até o início de agosto disputava a liderança com os candidatos Ratinho Junior (PSC) e Luciano Ducci (PSB), registrou queda nas últimas pesquisas. Há duas semanas, segundo o Datafolha, o candidato estava em terceiro lugar e havia perdido três pontos percentuais em comparação com o levantamento anterior. Ele tinha 20% das intenções de voto, contra 27% de Ducci e Ratinho. Um dia depois de o levantamento ser divulgado, no dia 30 de agosto, o candidato afirmou, em entrevista à rádio Band News, que era contra a proibição de pesquisas. "Eu não brigo com pesquisa. Eu nunca entrei para censurar nenhuma pesquisa. Entendo que, sempre, quanto mais informação, melhor. Até espero que divulguem todas as pesquisas, parem com essa proibição que marca a eleição no Paraná", afirmou, na ocasião. Sobre o comentário, a assessoria de Fruet respondeu que "o Judiciário é e sempre foi um instrumento de democracia, e que o resultado das pesquisas, na véspera da eleição de 2010, foi bem diferente do resultado da votação". Em 2010, quando concorreu ao Senado, Fruet perdeu a vaga por uma diferença de cerca de 2% dos votos válidos. As pesquisas do Ibope e do Vox Populi o colocavam até 20 pontos percentuais atrás do segundo colocado. Além de Fruet, Ratinho e Ducci também já contestaram na Justiça, neste ano, levantamentos do Ibope e do Vox Populi, respectivamente, mas as pesquisas não chegaram a ser proibidas.  

continua após publicidade