Política

Justiça Eleitoral retira propaganda do PR por ofensa em Manaus

Da Redação ·

Por Kátia Brasil e Paulo Peixoto BELO HORIZONTE, MG, 10 de setembro (Folhapress) - O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Amazonas suspendeu uma inserção do PR, veiculada no rádio e na TV, que mostrava uma marionete loira tentando se equilibrar sobre uma corda. A determinação atendeu pedido da candidata Vanessa Grazziotin (PC do B), que é loira, e se sentiu atingida pela peça. A inserção de 32 segundos estava sendo veiculada desde sábado na propaganda do candidato a prefeito de Manaus Henrique Oliveira (PR) - apoiado pelo ex-ministro dos Transportes e presidente do PR, o senador Alfredo Nascimento (PR-AM). Na inserção da TV, o vídeo mostrava a marionete andando sobre uma corda bamba, tentando se equilibrar. O texto da peça dizia: "Para ser prefeito de Manaus é preciso ter firmeza. São muitos desafios para enfrentar e não pode estar pedindo ajuda o tempo todo. Um prefeito tem que bater no peito e dizer: é comigo, eu me garanto! Porque, para ser um bom prefeito, tem que andar com as próprias pernas". No horário eleitora, Vanessa Grazziotin tem afirmado que é a única a ter o apoio, entre os partidos da base aliada, da presidente Dilma Rousseff, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do senador Eduardo Braga (PMDB-AM) e do governador Omar Aziz (PSD). As pesquisas eleitorais apontam que a comunista está em segundo lugar na corrida à prefeitura, atrás de Arthur Virgílio (PSDB). O candidato Henrique Oliveira aparece em quinto lugar, atrás de Serafim Corrêa (PSB) e Sabino Castelo Branco (PTB). Procurado pela reportagem, Oliveira disse que vai recorrer da decisão. "Não denegrimos a imagem da Vanessa e vamos pedir uma reconsideração ao tribunal. Estou sendo tolhido por criticar um adversário meu, que diz o tempo todo que vai governar bem porque tem o apoio do Lula, da Dilma. Ela não pode ficar esperando orientação deles para poder resolver os problemas da cidade", disse. Vanessa Grazziotin disse que a propaganda do PR "desrespeita não só ela, mas todas as mulheres". "É degradante ser marionete de quem quer que seja", afirmou. Belo Horizonte A Comissão da Propaganda Eleitoral do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de Minas Gerais suspendeu ontem, por meio de medida liminar (decisão provisória), as inserções de rádio do prefeito de Belo Horizonte e candidato à reeleição Marcio Lacerda (PSB), por irregularidade na apresentação de pesquisas eleitorais. A propaganda de Lacerda apresentava resultados de três pesquisas sem citar os respectivos períodos de realização e as margens de erro, o que infringe resolução do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), segundo anotou o juiz Octavio de Almeida Neves. A contestação foi feita pela coligação que sustenta a candidatura do ex-ministro Patrus Ananias (PT). O tempo das inserções contestadas é de 15 segundos. As inserções apresentam as intenções de voto do prefeito em três pesquisas de diferentes institutos. A resolução não o obriga a citar as intenções de votos dos outros candidatos, mas a margem de erro e o período de realização é obrigatório.  

continua após publicidade