Política

Eleições-PE - (Atualizada)

Da Redação ·

Candidatos apelam a padrinhos políticos em debate em Recife




SÃO PAULO, SP, 9 de setembro (Folhapress) - Líderes nas pesquisas de intenção de voto em Recife, os candidatos a prefeito Humberto Costa (PT) e Geraldo Júlio (PSB) exploraram a aliança com os padrinhos de suas candidaturas durante debate Folha de S.Paulo/RedeTV! na noite de hoje.

Costa, que entrou na disputa após intervenção da direção nacional do PT, afirmou que sua candidatura foi um apelo do ex-presidente Lula e da presidente Dilma. Segundo ele, Lula sugeriu seu nome para que alguém com mais experiência pudesse "resgatar um projeto político" para a cidade.

Costa se tornou candidato após impasse entre o atual prefeito, João da Costa, e o ex-secretário estadual Maurício Rands, que chegaram a disputar prévias partidárias, mas foram preteridos na disputa.

Já Geraldo, ex-secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, citou por diversas vezes seu trabalho com o governador Eduardo Campos. O governador, presidente nacional do PSB, foi fiador de sua candidatura após romper com o PT na cidade.

Mas os ex-aliados também buscaram se apoiar no padrinho um do outro. Logo no início do encontro, Costa lembrou sua experiência como secretário de Cidades de Eduardo Campos. Geraldo frisou que os partidos de sua coligação também fazem parte da base de apoio do governo federal.

"Os 14 partidos que me apoiam são da base da presidente Dilma. Por isso vamos continuar buscando parceria", afirmou.

Oposição

Com duas candidaturas da "situação", coube a Daniel Coelho (PSDB) e a Mendonça Filho (DEM) criticar a atual administração municipal.

Mais afiado, o tucano criticou o sistema de saúde na cidade e acusou Geraldo de copiar suas propostas de campanha.

"Vocês tem 12 minutos de televisão e copia nossas propostas", afirmou o tucano, dizendo que Geraldo é conhecido por ser o candidato do "blá-blá-blá".

"Um minuto respondendo e a gente não viu nenhuma proposta", criticou Geraldo na réplica.

Mendonça atacou principalmente questões relativas a transportes na cidade e a coleta de lixo.

Mensalão

O julgamento do mensalão também foi lembrado durante o encontro entre candidatos em Recife. Questionado se a imagem negativa do DEM após sucessivos escândalos influenciaria o desempenho de sua campanha, o candidato Mendonça Filho rebateu citando o caso.

"De jeito nenhum [influencia a campanha]", disse Mendonça. Para ele, se tal influencia existisse, o PT, que tem filiados sendo julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal), também poderia ser prejudicado.
 

continua após publicidade