Política

Candidato do PSB arrecada quatro vezes mais que petista em Recife

Da Redação ·





Por Fábio Guibu

RECIFE, PE, 8 de setembro (Folhapress) - A campanha do candidato do PSB à Prefeitura de Recife, Geraldo Júlio, arrecadou quatro vezes mais que a do petista Humberto Costa, aponta a segunda parcial das prestações de contas apresentadas à Justiça Eleitoral.

Os R$ 4,45 milhões arrecadados pelo socialista, que é apoiado pelo governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), superam ainda em R$ 540 mil o total obtido pelos seus três principais adversários --o petista, Daniel Coelho (PSDB) e Mendonça (DEM).

Humberto Costa declarou ter recebido até agora R$ 1,135 milhão, o tucano R$ 1,035 milhão e o democrata, R$ 1,74 milhão.

Da receita obtida pela campanha de Geraldo Júlio, R$ 3 milhões foram doados pela direção nacional do partido. O maior financiador particular do PSB foi a Indústria de Alimentos BomGosto Ltda, que repassou R$ 550 mil.

No PT, a maior colaboradora é a Construtora OAS Ltda, que contribuiu com R$ 500 mil. A direção nacional da legenda disponibilizou R$ 475 mil para os petistas em Recife.

Humberto Costa e Geraldo Júlio apareceram empatados em primeiro lugar na última pesquisa Datafolha. No Ibope, o candidato socialista surge como líder isolado.

Os dois institutos apontam Daniel Coelho em terceiro lugar na corrida sucessória. O tucano, ex-integrante do PV, adotou o verde como sua cor oficial e faz discurso de ativista ambiental.

Mas os principais financiadores particulares da sua campanha são empresas que lucram com a venda de combustíveis fósseis, a MS Petróleo Ltda e a Petro Cabo Ltda, que lhe repassaram até agora R$ 135 mil, no total.

Investimento

A diferença entre as receitas obtidas pelos candidatos aparece nas ruas e nas propagandas de TV.

A cor amarela das bandeiras de Geraldo Júlio toma a cidade, em evidente desproporção com a publicidade de seus adversários. Só o PT ainda consegue um equilíbrio em alguns pontos da cidade.

A militância do partido continua dividida após a briga interna que resultou na interferência da cúpula nacional na escolha de Humberto como candidato.

Enquanto o prestígio em alta do governador continua se refletindo no caixa da campanha socialista, a Prefeitura de Recife, administrada pelo PT há 12 anos, é quase um entrave para os petistas.

Impedido pelo partido de disputar a reeleição, o prefeito João da Costa (PT) se recusa a apoiar Humberto Costa --que, por sua vez, não cita as realizações dos últimos quatro anos do governo municipal.

O desequilíbrio das cores nas ruas permitiu até ao candidato do PSB se promover com a retirada de 4.000 cavaletes que o partido espalhou nas ruas.

Geraldo anunciou a retirada das peças aos jornalistas ontem, alegando que, como defensor da mobilidade urbana, não poderia deixar que sua propaganda atrapalhasse o fluxo de pessoas nas praças e calçadas.

Segundo ele, após a eleição, o material será doado para reciclagem.
 

continua após publicidade