Política

Lei da Ficha Limpa barra ao menos 50 candidatos em SP

Da Redação ·

Por Daniel Carvalho SÃO PAULO, SP, 8 de setembro (Folhapress) - A Justiça Eleitoral já barrou pelo menos 50 candidatos a prefeito no Estado de São Paulo com base na Lei da Ficha Limpa, aponta levantamento do Ministério Público Federal. Esta é a primeira eleição em que a lei de iniciativa popular é aplicada. Sancionada em 2010, a nova regra modificou a Lei das Inelegibilidades, de 1990, aumentando o número de situações em que um candidato fica impedido de concorrer. Entre outros pontos, determina a inelegibilidade por oito anos de políticos condenados criminalmente por órgão colegiado (mais de um juiz), dos cassados ou dos que renunciaram para evitar cassação. O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo julgou até agora 1.985 dos 2.740 recursos relativos a registros de candidatura, mas não soube informar quantos se referem à Ficha Limpa. Dos 465 casos envolvendo candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores analisados pela Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, 264 foram julgados e 162 acabaram indeferidos até o último sábado. A Procuradoria espera que, até o final dos julgamentos, esse número chegue a 600. Na avaliação de André de Carvalho Ramos, procurador regional eleitoral, a Ficha Limpa "pegou", mas é preciso que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) regulamente alguns pontos para tornar a aplicação da lei mais efetiva. "Não há um cadastro nacional de potenciais inelegíveis do TSE e não há uma obrigação de o candidato apresentar as certidões cíveis. Hoje só precisa apresentar certidão criminal", afirmou. Partidos Segundo a Procuradoria, o PSDB é o partido com mais candidatos a prefeito barrados no Estado: 16. São ainda seis do DEM, cinco do PTB, quatro do PMDB e do PT e três do PDT e do PP. PPS, PR, PSB e PV têm dois candidatos barrados cada. O PTN tem um. Rejeição de contas, improbidade e condenações criminais foram os crimes que mais motivaram o veto a candidaturas. Além dos 50 candidatos a prefeito, há cinco a vice-prefeito e 107 a vereador barrados com base na lei. Eles podem recorrer ao TSE, que já indeferiu duas candidaturas a prefeito. Maurício Xavier de Oliveira Rosa Junior, o Mauricinho (PTB), disputa a Prefeitura de Cananeia, mas foi barrado por ter contas rejeitadas. O TSE também indeferiu a candidatura de Pedro Eliseu Filho, o Pedrinho Eliseu (PSDB). Condenado por abuso de poder econômico e uso indevido de meios de comunicação nas eleições de 2008, ele foi cassado. Tanto Maurício Xavier como Pedro Eliseu Filho ainda podem recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).  

continua após publicidade