Política

Serra diz que deixou prefeitura porque "PT ia quebrar o Estado"

Da Redação ·





Por Daniela Lima

SÃO PAULO, SP, 4 de setembro (Folhapress) - O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, disse na tarde de hoje que o "PT ia quebrar o Estado assim como quebrou a prefeitura", em discurso para justificar ter deixado a administração municipal em 2006 para disputar a eleição para governador.

Serra tem usado essa tese para tentar diminuir sua rejeição, inclusive no horário eleitoral. O tucano voltou ao tema em encontro com mulheres de grupos da terceira idade, hoje à tarde.

"Tem muito boato se espalhando, boatos importantes. Um deles é o boato de que, se eleito, eu saio para me candidatar em dois anos", disse Serra, para introduzir o assunto. "Eu fiz isso uma vez, sim, mas fiz com o apoio da população de São Paulo. Tive mais votos para governador do que para prefeito", continuou.

"Por que? Porque do jeito que as coisas estavam, o PT ia levar o governo do Estado e ia arrebentar o Estado como já tinha arrebentado a prefeitura, por isso eu fui candidato", finalizou.

Serra foi ouvido por cerca de mil mulheres de grupos da terceira idade, num evento organizado pela candidata a vereadora Myryan Athiê. Segundo ela, cada uma das presentes contribuiu com R$ 20 para a realização do ato.

Na saída do encontro, Serra comentou os ataques feitos pelo PT ao seu discurso na propaganda eleitoral. "Pior do que qualquer coisa é o abandono em que a cidade ficou quando eles estiveram na prefeitura --R$ 16 mil em caixa, obras paradas, postos de saúde sem remédio", afirmou.

"A grande obra do PT na prefeitura foram os túneis dos Jardins, que inundou logo depois. Esse é o PT", disse o tucano. "Nunca se fez tanta coisa para a cidade pelo governo do Estado quanto no meu período", concluiu.
 

continua após publicidade