Política

Lula lembra que Serra deixou prefeitura no meio do mandato

Da Redação ·
Lula lembra que Serra deixou prefeitura no meio do mandato
fonte: Arquivo
Lula lembra que Serra deixou prefeitura no meio do mandato

SÃO PAULO, SP, 22 de agosto (Folhapress) - No primeiro programa do horário eleitoral de rádio dedicado aos candidatos a prefeito de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que apoia Fernando Haddad (PT), lembrou, sem citar nome, que José Serra (PSDB) deixou a prefeitura da capital após dois anos para se dedicar ao governo do Estado.

"Ele já foi prefeito e saiu, não sei por que quer ser prefeito de novo?", diz Lula. O candidato tucano se elegeu em 2004 e deixou o cargo de prefeito no ano seguinte mesmo tendo assinado um documento no qual se comprometia a cumprir todo o seu mandato.

Lula falou em quase todo o tempo reservado no horário eleitoral para Haddad. O ex-presidente participou do "Programa da Tarde", um programa de rádio do PT que tem um nome pouco adequado já que a propaganda foi veiculada às 7h da manhã.

No programa, Lula comentou o programa de governo petista e não poupou elogios. "Desde sempre eu tinha certeza que Fernando Haddad era a melhor opção para ser candidato de São Paulo. Uma experiência bem sucedida para educação, uma pessoa que conhece a capital, que se formou aqui e tem a alma do povo brasileiro de generosidade", diz.

Entre as propostas, Haddad disse que "São Paulo não aderiu ao plano de expansão da educação infantil" do governo federal e que, se eleito, irá aumentar o número de vagas e a qualidade do ensino com o "dinheiro reservado da prefeitura". O candidato afirmou que é preciso "o novo" para melhorar a parceria com o governo federal.

No início de agosto, o candidato do PT acusou a administração de Gilberto Kassab (PSD) de não ter utilizado recursos federais para construir e cobrir quadras esportivas em escolas públicas. Alexandre Schneider, vice de Serra e ex-secretário de Educação defendeu sua administração na pasta e atacou o petista.

A polarização PT e PSDB também foi citada pelo candidato do PMDB Gabriel Chalita. "O PT e o PSDB brigam há anos e não fazem parceria entre programas do governo federal e São Paulo. Eu não quero saber de briga, eu quero trabalhar e melhorar a cidade".

Novo

A tentativa de colar a imagem de "novo" nos candidatos foi marca do programa eleitoral desta quarta-feira. Até Serra, que inicialmente fazia campanha pela continuidade do governo Kassab,seu aliado, se disse inovador.

"Para ser prefeito precisa conhecer a cidade e ideias novas, eu sonho como coisas novas, eu sou um sonhador, eu quero para formular ideias novas", afirma o tucano.

Mesmo o candidato do PRB Celso Russomanno, que lidera as pesquisas de intenção de voto, utilizou a marca de inovação. "Meu prefeito é Celso, o novo que vai chegar. Ele é comprometido com sp que vai mudar", diz o locutor. Apesar do resultado das pesquisas, Russomanno foi ignorado pelos adversários.

"Só de iluminar melhor a segurança já é um caminho, coisas simples e mais complexas", defende Chalita que teve como padrinho o vice-presidente da República Michel Temer: "Chalita é a maior revelação entre os políticos de São Paulo, tem novas ideias e vontade de trabalhar."

Na contramão, Levy Fidelix (PRTB) reclamou de seus adversários que, segundo ele, copiam suas propostas e estampam a ideia de novo. "Agora querem mudar o aerotrem e dar o nome de monotrilho, como conheço muito bem [o meio de transporte] como prefeito farei muito mais barato."
 

continua após publicidade