Política

Câmara revoga reajuste de salários por unanimidade

Da Redação ·

A Câmara de Apucarana aprovou ontem (20) à noite, em primeira discussão, os projetos de lei que revogam os reajustes salariais concedidos para vereadores, prefeito, vice e secretários municipais da próxima gestão. As matérias também fixam novos valores para a remuneração destes agentes públicos em 2013.

De autoria da mesa Executiva da Casa, os projetos ainda devem ter a votação retomada amanhã e quinta-feira, durante sessões extraordinárias. Com as propostas, os vereadores terão o salário mantido em R$ 6,7 mil, ao invés de reajuste para R$ 10,2 mil. Os secretários municipais também terão vencimentos no mesmo valor e não de R$ 9.250, como o previsto anteriormente.

Já o prefeito, que hoje recebe R$ 22,5 mil, passará a ganhar R$ 18 mil, enquanto o vice-prefeito, hoje com salário de R$ 10 mil, receberá R$ 9 mil. Na proposta anterior, que seguia um teto máximo previsto na Constituição Federal, o próximo prefeito eleito receberia R$ 25 mil e o vice-prefeito, R$ 15.030.

A sessão ordinária de ontem foi acompanhada por moradores e membros da União dos Estudantes de Apucarana (UEA), Pastoral da Juventude (PJ) e do Observatório Social de Apucarana (OSA). Os estudantes chegaram a fazer um protesto em frente à Câmara, minutos antes do início da sessão. O presidente do OSA, Mauro de Oliveira Carlos, considerou como grandiosa a atitude dos vereadores. “As coisas aconteceram no momento certo. Achei que a batalha estivesse perdida, mas por um desígnio superior, as coisas acabaram acontecendo”, disse ele durante a sessão.

O presidente da Casa, vereador Alcides Ramos Júnior (DEM), sustentou que a Câmara está seguindo o que a população pede. “Me penitencio pelo acontecimento da segunda-feira passada. Meu compromisso é com a democracia”, afirmou.
A revogação dos reajustes salariais foi citada pelos demais vereadores como uma vitória para Apucarana.


Leia mais na edição de terça-feira (21) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná

continua após publicidade