Política

Candidato faz campanha diferente em Borrazópolis

Da Redação ·
Valdnei Del Grande, o “Di”: campanha sem nenhum adesivo nos carros ou nas residências
fonte: Divulgação
Valdnei Del Grande, o “Di”: campanha sem nenhum adesivo nos carros ou nas residências

Imagine fazer uma campanha sem colar um só adesivo de carro ou uma placa na casa de alguém. É isso que está fazendo o candidato da coligação “Borrazópolis, Novos Caminhos, Novos Desafios”, Valdnei Del Grande, o “Di”. A explicação para essa estratégia de campanha é simples: a falta de dinheiro. “Nós lançamos uma estratégia de campanha que é inédita em Borrazópolis e na região. Uma campanha praticamente sem material nenhum, com base apenas no boca a boca e no corpo a corpo”.

Segundo ele, a coordenação da campanha optou por este formato porque concluiu que na base da estrutura e do material não teria como medir forças com os adversários. Di afirma que apenas alguns candidatos a vereador estão, por conta própria, recorrendo a alguns adesivos de veículos. “Mas com material exclusivo da nossa candidatura a prefeito não se verá um carro circulando na cidade”, garante ele, salientando que a estratégia tem confundido os adversários. “Tem muito mais carros sem adesivos do que adesivados. Nunca se sabe se um carro sem adesivo é de gente nossa ou não”.
De acordo com ele, o que falta em material de campanha vai ter que ser compensado com propostas e no contato direto com o eleitor.

“Estamos visitando casa por casa, empresa por empresa, sítio por sítio, carreador por carreador. Levamos nossas propostas diretamente ao eleitor, olho no olho. Ninguém vai deixar de votar em nós por falta de informação”, assinala o candidato. Di também aposta no horário eleitoral de rádio para difundir suas ideias. Na sua opinião, a campanha está de vento em popa. “Se der certo nós não vamos precisar recuperar o que foi investido em campanha. Se não der certo, também não vamos ficar pagando dívida de campanha durante anos”, acrescenta. Ainda de acordo com o candidato, o fato de sua campanha ser diferente em termos de veiculação de material deixa toda a equipe pronta para denunciar abusos à Justiça Eleitoral, cobrando providências e solicitando a aplicação das penas previstas em lei.

continua após publicidade