Política

CPI quebra sigilo de dois governadores para investigação

Da Redação ·
 Agnelo Queiroz sugeriu a quebra do sigilo, afirmando que
fonte: Divulgação
Agnelo Queiroz sugeriu a quebra do sigilo, afirmando que
continua após publicidade
Foi aprovada por unanimidade pela CPI do caso Cachoeira, nesta quinta (14), a quebra dos sigilos fiscal, bancário, telefônico, de e-mail e SMS no período dos últimos dez anos dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF). Os requerimentos aprovados, em votação nominal, eram de autoria do relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), e estabelecem a quebra do sigilo dos dois governadores desde janeiro de 2002. Os governadores investigados prestaram depoimentos na terça (12) e quarta (13) à CPI. Na quarta-feira, durante o depoimento, Agnelo Queiroz sugeriu a quebra do sigilo, afirmando que "quem não deve não teme". A atitude que motivou Perillo a anunciar oferecer a mesma proposta em Goiânia.