Política

Conselho quer quebra de sigilo de IR e contas eleitorais de Demóstenes

Da Redação ·
Conselho quer quebra de sigilo de IR e contas eleitorais de Demóstenes
fonte: Abr
Conselho quer quebra de sigilo de IR e contas eleitorais de Demóstenes
continua após publicidade
O Conselho de Ética do Senado aprovou hoje (10) requerimento que pede acesso às declarações de bens e do Imposto de Renda do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) desde 1999. Também foram aprovados requerimentos para que o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás encaminhe ao colegiado todas as prestações de contas das eleições de que Demóstenes participou no estado.
 
O conselho também marcou as datas dos depoimentos do empresário de jogos de azar Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e do senador Demóstenes Torres. Eles serão ouvidos, respectivamente, nos dias 23 e 28. O advogado Rui Cruvinel, que acusou e depois negou a participação de Demóstenes em um esquema de jogos ilegais, será ouvido no dia 22.
 
Os delegados da Polícia Federal Raul Alexandre Souza e Matheus Melo Resende, responsáveis pelas operações Vegas e Monte Carlo, serão ouvidos no dia 15. Já os procuradores da República em Goiás Daniel Resende Salgado e Léa Batista de Oliveira falarão ao conselho no dia 16. Matheus, Daniel e Léa prestam depoimento hoje na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira.
 
Também foi aprovado requerimento que pede o compartilhamento com a CPMI do Cachoeira de dados referentes ao uso do aparelho celular Nextel que teria sido cedido por Cachoeira ao senador Demóstenes Torres. Também foi aprovado requerimento que solicita à direção do Senado o registro de eventuais acessos de Cachoeira e Idalberto Matias de Araújo, o Dadá, nas dependências da Casa.
 
O Conselho de Ética ainda aprovou pedido para que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informe a relação de voos e eventuais acompanhantes de Demóstenes nas empresas Voar Táxi Aéreo LTDA e Empresa Sete Táxi Aéreo LTDA. O relator do caso contra Demóstenes no conselho, senador Humberto Costa (PT-PE), disse que essas informações ajudarão a comprovar a relação do senador com Cachoeira.